"O resultado do teste realizado esta noite pelo Instituto Ricardo Jorge foi negativo", avança a página da Presidência na Internet numa nota divulgada esta terça-feira.

"O Presidente da República mantém-se em isolamento e aguarda a realização de um teste confirmativo", lê-se ainda.

"Enquanto aguarda pelo resultado, bem como pelas subsequentes orientações das autoridades de saúde, o Presidente da República assistirá, por videoconferência, à reunião desta manhã no Infarmed" sobre a situação epidemiológica da COVID-19 em Portugal, acrescenta.

Na segunda-feira, cerca das 22h00, a Presidência da República comunicou que Marcelo Rebelo de Sousa testou positivo para o coronavírus SARS-CoV-2, mas estava assintomático. Na sequência do resultado, o chefe de Estado cancelou toda a sua agenda para os próximos dias.

Duas horas depois, foi divulgado que Marcelo Rebelo de Sousa já tinha respondido ao inquérito epidemiológico e realizado novo teste de diagnóstico, realizado pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), cujo resultado deveria ser conhecido dentro de algumas horas.

O contacto de risco do Presidente

O Presidente da República afirmou no dia 6 de janeiro que estava em vigilância e impedido de se juntar a "aglomerações significativas" durante 14 dias, na sequência do contacto com um elemento da sua Casa Civil infetado com o novo coronavírus.

Embora não tenha de cumprir isolamento profilático porque o contacto com o referido elemento da sua Casa Civil foi considerado de baixo risco, o chefe de Estado disse na altura que a determinação das autoridades de saúde lhe impunha "uma vigilância passiva, o que implica não ir para aglomerações significativas durante 14 dias".

Segundo fonte de Belém, Marcelo Rebelo de Sousa contactou com o referido elemento da sua Casa Civil de modo "muito breve", por um tempo "muito curto" e "com máscara, para dar indicações sobre determinadas questões internas, à margem das audiências aos partidos" realizadas na segunda-feira da semana passada.

Na semana passada, Marcelo Rebelo de Sousa debateu com todos os candidatos a corrida a Belém. O primeiro frente-a-frente do Presidente da República a propósito das eleições foi com Marisa Matias no sábado (2 de janeiro) e o segundo com Tiago Mayan no domingo (3 de janeiro). Na segunda-feira (4 de janeiro), o debate foi com João Ferreira. Na quarta-feira, o chefe de Estado debateu com André Ventura a corrida às Presidenciais na SIC. Na quinta-feira enfrentou Vitorino Silva e, no sábado, o Presidente da República teve um frente-a-frente com Ana Gomes.

Em Portugal, morreram 7.925 pessoas dos 489.293 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

O estado de emergência decretado em 09 de novembro para combater a pandemia foi renovado com efeitos desde as 00:00 de 08 de janeiro, até dia 15.

A pandemia de COVID-19 provocou pelo menos 1.934.693 mortos resultantes de mais de 90,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Vídeo - Como passou o coronavírus de animais para humanos?

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.