"O teste feito esta manhã pelo Instituto Ricardo Jorge voltou a dar resultado negativo", informa uma nota publicada site da Presidência na Internet.

"O Presidente da República aguarda agora as orientações das autoridades de saúde", lê-se ainda.

Na segunda-feira, cerca das 22 horas, a Presidência da República comunicou que o chefe de Estado tinha tido um teste PCR positivo para o novo coronavírus, mas estava assintomático.

Segundo essa comunicação, Marcelo Rebelo de Sousa encontrava-se em isolamento no Palácio de Belém, tendo cancelado toda a sua agenda para os próximos dias.

Nessa noite, o chefe de Estado realizou novo teste PCR, cujo resultado negativo foi conhecido hoje de manhã e, na sequência destes resultados díspares, hoje realizou um teste para confirmação agora divulgado, também negativo.

O contacto de risco do Presidente

O Presidente da República afirmou no dia 6 de janeiro que estava em vigilância e impedido de se juntar a "aglomerações significativas" durante 14 dias, na sequência do contacto com um elemento da sua Casa Civil infetado com o novo coronavírus.

Embora não tenha de cumprir isolamento profilático porque o contacto com o referido elemento da sua Casa Civil foi considerado de baixo risco, o chefe de Estado disse na altura que a determinação das autoridades de saúde lhe impunha "uma vigilância passiva, o que implica não ir para aglomerações significativas durante 14 dias".

Segundo fonte de Belém, Marcelo Rebelo de Sousa contactou com o referido elemento da sua Casa Civil de modo "muito breve", por um tempo "muito curto" e "com máscara, para dar indicações sobre determinadas questões internas, à margem das audiências aos partidos" realizadas na segunda-feira da semana passada.

Na semana passada, Marcelo Rebelo de Sousa debateu com todos os candidatos a corrida a Belém. O primeiro frente-a-frente do Presidente da República a propósito das eleições foi com Marisa Matias no sábado (2 de janeiro) e o segundo com Tiago Mayan no domingo (3 de janeiro). Na segunda-feira (4 de janeiro), o debate foi com João Ferreira. Na quarta-feira, o chefe de Estado debateu com André Ventura a corrida às Presidenciais na SIC. Na quinta-feira enfrentou Vitorino Silva e, no sábado, o Presidente da República teve um frente-a-frente com Ana Gomes.

Portugal em estado de emergência

Desde o início da pandemia, Portugal registou 8.080 mortes associadas à COVID-19 e 496.552 casos de infeção, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

O estado de emergência decretado em 09 de novembro para combater a pandemia foi renovado com efeitos desde as 00:00 de 08 de janeiro, até dia 15.

pandemia de COVID-19 já provocou a morte de pelo menos 1.945.437 pessoas em todo o mundo desde que foi detetada na China no final do ano passado, avança hoje a agência francesa de notícias AFP. Segundo a mesma fonte, foram oficialmente diagnosticados mais de 90.807.760 casos de infeção desde o início da pandemia, dos quais pelo menos 55.908.500 já foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Vídeo - Como passou o coronavírus de animais para humanos?

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.