Órgãos de comunicação de Wuhan avançaram, esta quinta-feira, que Li Wenliang, o médico chinês que tentou alertar outros profissionais de saúde sobre o coronavírus, morreu após contrair a infeção. No entanto, o Hospital de Wuhan, através da rede social Weibo, negou a morte do médico de 34 anos.

A unidade hospitalar afirma que o chinês está em estado crítico, mas que "ainda lutam para o salvar."

Em dezembro, o médico chinês tentou alertar outros profissionais de saúde para o coronavírus. No entanto, o médico foi uma das oito pessoas investigadas pela polícia chinesa por, supostamente, inventar rumores sobre uma nova doença.

A China elevou hoje para 563 mortos e mais de 28 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), colocada sob quarentena.

A OMS declarou em 30 de janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

A expansão do coronavírus em imagens

Notícia corrigida com o esclarecimento do estado de saúde de Li Wenliang.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.