Esta doação, entregue pela família de Jeff Bezos permitirá financiar 36 novos laboratórios de investigação, a construção de uma grande instalação de investigação e investimentos em infraestrutura de ensaios clínicos e investigação de imunoterapia ao longo de dez anos, informou o centro.

Thomas Lynch, presidente e diretor deste centro, que foi renomeado este mês como Fred Hutch, mas que é amplamente conhecido como The Hutch, revelou que procurou perceber junto de Mike e Jackie Bezos, que fizeram a doação, qual o motivo.

Jackie Bezos é a mãe de Jeff Bezos, fundador da Amazon, enquanto o seu marido, Mike, é o padrasto.

Jeff Bezos, a segunda pessoa mais rica do mundo, renunciou ao cargo de CEO da Amazon em julho de 2021.

O responsável do centro de investigação descobriu que a família Bezos valoriza profundamente a colaboração em investigação e tratamento.

A família Bezos já tinha doado quase 68 milhões de dólares para investigação ao The Hutch desde 2009, acrescentou o centro.

A instituição não precisou se Mike e Jackie Bezos realizaram a doação através da sua fundação ou de outra entidade e uma empresa de comunicação que trabalhou anteriormente com a Bezos Family Foundation encaminhou os pedidos de comentários ao The Hutch.

Em comunicado, Mike Bezos elogiou a fusão, no início do ano, do Fred Hutchinson Cancer Research Center, Seattle Cancer Care Alliance, Seattle Children's Hospital e UW Medicine para um centro unificado de investigação de cancro em adultos.

“Esperamos que o nosso investimento no The Hutch leve a respostas para as questões médicas mais urgentes. Também esperamos que isso inspire outros a juntarem-se a nós agora na procura de avanços científicos e médicos”, frisou ainda.

Esta nova doação surge numa altura em que o Presidente dos EUA, Joe Biden, apelou ao setor privado e às fundações para se juntarem à iniciativa "Moonshot" contra a doença, que tem o objetivo de aproximar o país da meta que estabeleceu em fevereiro, de reduzir as mortes por cancro nos EUA em 50% nos próximos 25 anos.

Com esta doação, o centro espera acelerar o ritmo dos ensaios clínicos com o objetivo de rever e iniciar os ensaios em 90 dias, explicou Lynch.

O trabalho que investigadores e clínicos poderão fazer no The Hutch também beneficiará pacientes e cientistas de outras partes do país, sublinhou Nilofer S. Azad, professor de oncologia do Sidney Kimmel Comprehensive Cancer Centre, da Universidade Johns Hopkins.

O The Hutch recebeu em setembro uma doação de 78 milhões de dólares de Stuart e Molly Sloan, num sinal de que as doações filantrópicas estão a aumentar, depois de em 2021 este centro ter recebido em doações 86,4 milhões de dólares, ou 8% da sua receita total de 984 milhões de dólares.

Veja ainda: Os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.