No primeiro parto, uma cesariana, a paulistana Marisa não precisou de anestesia e durante o nascimento do segundo dos seus três filhos até adormeceu.

A brasileira da localidade de Angatuba, no estado de São Paulo, já amputou um dedo do pé e perdeu o sentido do paladar depois de se queimar na língua diversas vezes, sempre sem dar por isso.

As 10 dores mais insuportáveis do mundo
As 10 dores mais insuportáveis do mundo
Ver artigo

A patologia - insensibilidade congénita à dor ou analgesia congénita - afeta menos de 50 pessoas em todo o mundo, escreve a BBC.

Em permanente risco de vida

À primeira vista, até pode parecer um benefício, mas a doença coloca Marisa de Toledo em permanente risco de vida. "Eu já caí, bati com a cabeça... Uma vez cortei as costas, mas não chorei. A minha mãe nunca me levou no médico. Só depois de ela morrer é que fui ao médico", cita a estação britânica.

"Sinto quando está quente lá fora. Mas não sinto o fogo, nem a água quente no chuveiro", acrescentou, por isso quando era mais nova ficou com as costas cheias de bolhas depois de passar uma tarde junto à lareira.

22 doenças muito estranhas
22 doenças muito estranhas
Ver artigo

O irmão de Marisa, Reinaldo, de 38 anos, também sofre da mesma doença.

A paulistana chegou a partir o tornozelo, aos sete anos, mas só reparou dias depois, quando a inflamação ganhou grandes proporções. "Eu conseguia andar normalmente", recorda.

O caso de Marisa de Toledo é acompanhado no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Os especialistas acreditam que seja um problema genético.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.