Viver mais cinco anos. Esta é a conclusão de um estudo internacional realizado na Suécia, com uma amostra de mais de 300.000 golfistas, divulgado pelo Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports. Um estudo onde se demonstrou que estes têm uma taxa de mortalidade 40% inferior ao resto da população. Para os investigadores, estes benefícios devem-se a vários aspetos positivos desta modalidade no organismo.

Esses benefícios abrangem desde o esforço físico envolvido no jogo à interação social que este promove, seja qual for a idade dos participantes. Isto sem esquecer, é claro, o facto de promover um estilo de vida mais saudável. Já agora, sabia que Portugal é um dos destinos europeus mais procurados para a prática de golfe? Está, portanto, no sítio certo para começar! Leia os nossos conselhos e dê os primeiros passos no green.

Os melhores clubes de golfe portugueses
Os melhores clubes de golfe portugueses
Ver artigo

A prática regular de golfe pode, segundo muitos especialistas, nacionais e internacionais, ajudar a prevenir ou a tratar várias doenças, nomeadamente do foro cardiovascular e e do foro musculo-esquelético. Ao estimular a atividade física, este desporto combate o sedentarismo, melhora o desempenho articular e muscular e ainda promove a saúde do aparelho cardiovascular. Por ser considerada uma atividade física de baixo risco traumático, como a caracterizam, a sua prática pode manter-se até idades avançadas.

A marcha e os movimentos dos membros superiores, do tronco e dos membros inferiores realizados durante cada percurso trazem benefícios ao nível osteomuscular e articular e podem também ter, como têm avançado especialistas em seminários e conferências internacionais, um efeito protetor sobre as articulações. Para além disso, independentemente da idade, contribuem para a manutenção da massa óssea.

Como afirma José Pedro Almeida, fisiologista do exercício, "a atividade física tem um papel fundamental na prevenção primária e secundária de algumas patologias associadas a uma idade mais avançada". Contudo, "os resultados só serão eficazes se houver uma prática regular e prolongada", sublinha. De acordo com os especialistas, cinco horas de atividade física moderada por semana são consideradas suficientes.

Equilíbrio emocional

Os benefícios do golfe não se limitam ao bem-estar físico, mas também psicológico e emocional. "A prática de exercício físico ajuda a aumentar a autoestima e a autonomia, ao mesmo tempo que fomenta a interação social e a aprendizagem, competências importantes para os idosos", refere Vera Guerreiro, psicóloga clínica. A depressão, a ansiedade e o stresse também podem ser atenuados com algumas tacadas.

"É quase  impossível não nos sentirmos bem, depois de um passeio pela natureza, na companhia de amigos ou familiares", afirma a psicóloga. No golfe, um desporto ainda associado às classes mais ricas, a interação é constante e, se em qualquer idade isso  é importante, a partir do 65 anos revela-se "fundamental para  estimular as capacidades de relacionamento interpessoal, de  comunicação e de interajuda", acrescenta.

Os preparativos

Como frisa José Pedro Almeida, fisiologista, "todas as pessoas  devem aconselhar-se com um médico para saber se estão em condições de praticar exercício". Este ou qualquer outro, como alertam publicamente muitos profissionais de saúde. As pessoas que sofrem de hipertensão, diabetes, osteoporose ou lesões musculares e esqueléticas, por exemplo, só devem praticar golfe se estiverem clinicamente estável.

"Se não houver uma avaliação por parte de um profissional certificado, os benefícios do golfe podem converter-se em riscos para estes doentes", alerta o fisiologista português. Uma vez iniciada a prática regular desta modalidade, deve haver um acompanhamento regular mas isso não será, propriamente, uma novidade para si, uma vez que é o que se recomenda para toda e qualquer modalidade desportiva.

As precauções a ter

Nos idosos, dadas algumas limitações físicas inerentes ao envelhecimento, podem surgir algumas dificuldades na mobilidade articular bem como sensação de fadiga. Por estes motivos, José Pedro Almeida recomenda "um bom aquecimento" antes de iniciar a prática de golfe com vista a aumentar a temperatura corporal e promover a lubrificação articular. Esse está, contudo, longe de ser o único cuidado a ter.

Golfe alivia o stresse e prolonga a vida
Golfe alivia o stresse e prolonga a vida
Ver artigo

Para além disso, paralelamente ao golfe, "deve haver sempre um treino físico", frisa o especialista. "O fortalecimento muscular desenvolvido pelo treino prévio é fundamental para preparar as pessoas para a caminhada e para os movimentos exigidos ao longo do jogo", explica ainda José Pedro Almeida. Durante a prática de golfe, devem-se, ainda, tomar algumas precauções. Proteger-se do sol, usando um chapéu e aplicando um protetor solar em todas as zonas expostas, sem esquecer as mãos, o pescoço e as orelhas, é fundamental.

Estar atento aos riscos da desidratação, bebendo muita água, é outro dos cuidados a ter. No que toca à alimentação, é importante manter estáveis os níveis de açúcar no sangue enquanto pratica esta atividade. Para isso, deve ingerir uma peça de fruta ou uma barra de cereais antes de iniciar o jogo. Quanto ao vestuário, opte por peças de roupa e calçado confortáveis, que permitam liberdade de movimentos.

Texto: Sofia Santos Cardoso com José Pedro Almeida (fisiologista) e Vera Guerreiro (psicóloga clínica)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.