A hidropisia causa retenção de líquidos no organismo, fazendo com que a pessoa fique inchada. Trata-se basicamente de uma acumulação anormal de fluido nas cavidades naturais do corpo ou no tecido celular. O termo pode ser usado como sinónimo de edema. Historicamente, hidropisia designava a causa principal dos edemas generalizados.

A hidropisia é causada por distúrbios na circulação do sangue. Pode ter uma distribuição generalizada, ocorrendo em quase todas as partes do corpo, ou pode ser local, isto é, apresentar-se apenas numa parte do corpo. Esta condição é mais comum no abdómen, no peito, no encéfalo, nos rins, nas pernas e ao redor dos olhos e pode ser reconhecida pela formação de pequenas depressões que persistem quando se faz pressão sobre a parte afetada.

O papel da drenagem linfática manual

O sistema linfático é um componente essencial da defesa natural do organismo contra as infeções. É parte integrante do sistema circulatório juntamente com o sistema arterial e venoso e tem como função produzir e transportar o fluído linfático (linfa) dos tecidos para o sistema venoso.

Ao mesmo tempo tem uma função importante junto do sistema imunitário, pois colabora com os glóbulos brancos na proteção contra bactérias e vírus invasores.

Para além da linfa, é constituído por vasos semelhantes às veias (os vasos linfáticos), que se repartem por todo o corpo e tem como função recolher o fluido que não retornou aos capilares sanguíneos, filtrando-o e reconduzindo-o à circulação.

O sistema inclui também vasos mais largos, nódulos ou gânglios linfáticos, o baço, as amígdalas e o timo. Tem a capacidade de drenar os fluidos e proteínas em excesso, para evitar uma retenção, ou seja, provocar o aparecimento de um edema, ao nível dos tecidos.

Contrariamente ao sangue, que é impulsionado pelo bombear do coração, a linfa move-se sem qualquer auxílio. O seu movimento resulta da pressão contínua que se gera à medida que o novo fluido dos tecidos é drenado, para os espaços entre as células, empurrando por sua vez, o fluido que aí se alojava anteriormente.

Possui três funções inter-relacionadas: a remoção dos fluidos em excesso dos tecidos corporais; a absorção dos ácidos gordos e a produção de células imunes e protetoras.

A linfa é devolvida ao sangue através da circulação linfática para ser reabsorvido pelo organismo ou eliminado pela urina e suor.

Nem sempre o nosso corpo completa este ciclo de forma natural, surgindo assim situações como a retenção de líquidos, a hidropisia e a acumulação de gordura, contribuindo para pernas cansadas, cansaço, celulite, problemas musculares e articulares, entre outros. A Drenagem Linfática Manual (DLM) é assim a técnica ideal para combater estes problemas.

Saiba mais na próxima página

Drenagem Linfática Manual(DLM)
A palavra drenagem vem de origem inglesa e pertence ao léxico da hidrologia, que significa evacuar.

Em relação à drenagem linfática a analogia é clara, no entanto é necessário diferenciar os termos drenagem e massagem. A massagem é uma palavra de origem grega e significa “amassar” as diferentes partes do corpo com as mãos, com objetivo de relaxar.

A drenagem linfática ativa a circulação sanguínea, melhora a oxigenação das células, estimula a imunidade, melhora a ação anti-inflamatória, aumenta o potencial reparador das células, e dinamiza os processos catalisadores de uma boa cicatrização dos tecidos.

A ação da DLM
Para além dos efeitos, a DLM tem uma dupla ação:
Terapêutica
: lesões traumáticas, inflamações crónicas, doenças do aparelho digestivo, hidropisia, reumatismo, artrose, stress e problemas dermatológicos.
Estética
: aplica-se em casos de acne simples, prevenção de estrias, celulite, retenção de líquidos, curas de emagrecimento, melhoria e aceleramento do processo de recuperação num pós-operatório.

Benefícios
Acne
: atua ao nível da micro-circulação, facilita a eliminação das células mortas e regeneração da pele.
Cabelo
: é recomendada em casos de transplante, pois a mobilização suave do couro cabeludo e a repetição de movimentos, em certos casos, favorece o crescimento.
Celulite
: isoladamente não é o suficiente para combater o efeito “pele de laranja”, mas aliada a uma boa dieta, um estilo de vida equilibrado e outras técnicas, ajuda a eliminar as toxinas que se acumulam no corpo.
Cicatrizes
: favorece a elasticidade da pele e restaura a circulação correta, que permite a dissolução do tecido com edema. Gera uma modificação da pigmentação na zona da cicatriz e a atenuação do traço da mesma.
Derme
: atua sobre os vasos sanguíneos e sobre as estruturas linfáticas, renovando a flexibilidade e contribuindo para uma melhoria da luminosidade da tez.
Epiderme
: acelera a descamação das células mortas.
Hipoderme
: diminui a fibrose, melhora a circulação, facilita a troca entre células e a regeneração dos tecidos.

Os efeitos da drenagem linfática
Drenante
: desloca o líquido dos tecidos de um sítio para o outro e dessa forma estimula a circulação do sistema linfático.
Muscular
: limpa e desintoxica todos os músculos do corpo humano, ao mesmo tempo que estimula o sistema sanguíneo e regulariza a ação intestinal.
Neurológico
: promove o relaxamento.
Imunitário
: coloca o sistema imunitário numa melhor posição de defesa em relação as agressões exteriores diárias, devido ao efeito de aceleramento do transporte da linfa, mas também pela limpeza dos tecidos e glânglios linfáticos.

Bibliografia:“A Drenagem Linfática Manual Clássica”, Marc Peyre e Céline Robert, editora Saúdiforma
Imagem:© Andrejs Pidjass - Fotolia.com
Agradecimentos: Marie-Christine Sansoube da Associação Francesa para o Ensino da Drenagem Linfática Manual e Marlicel, Lisboa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.