Muitas são as tradições e os pratos que fazem as delícias dos portugueses na véspera e no dia de Natal, e muitos são também os vinhos que se encontram nas garrafeiras e grandes superfícies comerciais.

Numa altura em que a oferta é vasta, a questão que se coloca é quais destes vinhos irão tornar o seu Natal ainda mais especial?

E é isso que a PMC Wine & Food vem esclarecer.

Véspera de Natal – brancos sábios ou tintos jovens

Na noite de consoada o bacalhau é rei, com a sua bela posta cozida que se desfaz em lascas, tradicionalmente acompanhada por batata cozida e couves portuguesas, tudo regado com um bom azeite e alho picado.

O bacalhau, sendo um peixe magro e salgado com um baixo teor de gordura, é acompanhado na perfeição com um branco maduro, com corpo, untuosidade e personalidade. Um branco que tenha uma história para contar. Caso seja um adepto fervoroso de tintos, pode optar por um tinto jovem, com pouca madeira e taninos para que não se sobreponha à refeição.

Se a tradição é deliciar-se com um belo arroz de polvo na sua ceia de Natal, siga a mesma receita e faça um brilharete com um vinho branco com estágio em madeira, alguma estrutura e encorpado.

Em ambos os casos, o mais importante é que haja um equilíbrio entre os sabores dos pratos e as sensações que o vinho escolhido transmite.

Almoço de Natal – tintos médios e/ou encorpados seguidos de um bom porto

Quando chegamos ao dia de Natal a conversa é outra e o vinho tinto faz a mesa. Se estiver a planear servir um belo peru assado no forno para o almoço de Natal, deve acompanhar com um tinto médio ou leve, com uma curta passagem pela madeira.

O peru é um tipo de carne branca e magra e, dependendo do tipo e quantidade do molho, poderá ou não optar por tintos mais encorpados. Um vinho com Tinta Roriz ou Castelão, por exemplo, de corpo e de taninos médios para não cansar o palato e não se sobrepor ao delicioso peru de Natal.

Se por outro lado dia 25 de dezembro tem um encontro marcado com um cabrito assado no forno, não tenha receio de o acompanhar com uma garrafa de um vinho tinto encorpado como um Syrah ou um Cabernet Sauvignon. Um vinho com pelo menos 1 ano de estágio em madeira, redondo e ousado para fazer frente a esta refeição.

Para rematar, opte por um vinho do porto, Tawny por exemplo, ou um branco doce bem fresquinho. Qualquer uma destas opções será excelente para acompanhar a sobremesa de Natal ou um belo queijo de pasta mole, seja ele de entrada ou sobremesa para os amantes de salgados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.