«Por que é que tens umas mãos tão velhas?», insistia. A pergunta que lhe era colocada pela filha pequena de forma recorrente foi um dos motivos que levaram Piedade Gominho, uma secretária com 47 anos, a concorrer a um passatempo da revista Ultimate Beauty. Em causa estava a possibilidade de aceder gratuitamente a vários tratamentos de rejuvenescimento das mãos. «Sonhar é acreditar que os milagres acontecem e que umas mãos jovens e belas poderei ter», dizia na candidatura. Fomos conhecer os pormenores dos tratamentos e perceber se o sonho se concretizou.

O plano de tratamento definido pelos especialistas da Dermage – Clínica de Dermatologia e Rejuvenescimento, em Lisboa, começou por um processo de diagnóstico e avaliação. O plano de tratamentos foi delineado com base na observação realizada nesta consulta inicial. «Foram ouvidas as expectativas da cliente e observado o estado de envelhecimento do seu rosto e das suas mãos, já que nunca rejuvenesço demasiado as mãos se o rosto está envelhecido», explica Alexandra Osório, diretora da Dermage e dermatologista responsável pelos tratamentos.

Vários parâmetros foram avaliados, como «a elasticidade, tonicidade, hidratação e estruturas anatómicas, isto é, se ossos, veias, artérias, nervos e tendões estavam ou não muito visíveis ou salientes», elucida a especialista. O diagnóstico não deixou dúvidas. «As mãos estavam mais envelhecidas que o rosto», recorda. Assim, foi traçado um plano de tratamento adequado ao estilo de vida da paciente.

«Nunca gostei das minhas mãos. Sempre as achei envelhecidas para a minha idade. Tinha um grande complexo porque achava que tinha mãos de velha. Além disso, eram muito secas e desidratadas, com pouca vitalidade», contava Piedade Gominho antes de iniciar os tratamentos estéticos que lhe foram recomendados pela dermatologista. Em outubro de 2011, Piedade Gominho iniciou os procedimentos que lhe foram prescritos, em harmonia com as necessidades identificadas.

«Os objetivos eram aumentar a elasticidade e tonicidade da pele do dorso das mãos, disfarçar a visibilidade das veias, artérias e tendões na mesma zona e melhorar a hidratação», enumera Alexandra Osório. «Depois de examinar as minhas mãos, a doutora Alexandra notou que estavam bastante desidratadas e que lhes faltava textura. Era como se a minha pele estivesse agarrada aos ossos – e disse que com um preenchimento ficariam melhores», explica ainda.

O plano de tratamentos passo a passo:

1. Spa de mãos Dermage

Segundo Alexandra Osório, este tratamento ocorre em quatro etapas. Primeiro, uma esfoliação da pele das mãos através de um esfoliante de ervas. De seguida, é aplicada uma máscara hidratante com efeito oclusivo e procede-se a uma massagem para favorecer a penetração do produto. Finalmente, é realizada uma sessão de Freeze em todo o dorso das mãos e dedos. «O Freeze é um equipamento de radiofrequência e ondas eletromagnéticas que estimula a produção interna e espontânea das fibras de colagénio e elastina naturais da derme, para a pele ficar mais elástica e tonificada», explica.

São necessárias, em média, nove sessões, de 20 minutos cada. Cada sessão tem um custo aproximado de 150 €. «Primeiro aplicavam-me um creme para massajar, depois adicionavam uma ampola, que diluíam com outra massagem e depois usavam o manípulo de um aparelho à volta do peito da mão. A sensação era boa, libertava calor», salienta Piedade Gominho, visivelmente satisfeita com a evolução do processo.

Veja na página seguinte: Os restantes procedimentos que integraram o tratamento

2. Peeling Dermage

Este tratamento «abre as conexões intercelulares para aumentar a penetrabilidade dos produtos aplicados em casa e estimula a produção de novas fibras de colagénio e elastina, eliminando rugas e manchas da pele», afirma Alexandra Osório. São recomendadas duas (30 minutos cada) com um custo de 190 € cada. «Aplicaram-me um líquido com uma compressa, depois passaram um pincel com produto pelas mãos e depois uma outra compressa, foi muito rápido», afirma Piedade Gominho.

3. Preenchimento do dorso das mãos

«A atrofia do tecido subcutâneo do dorso da mão faz realçar as veias e os tendões. Podemos preencher as depressões, onde a derme ficou mais fina, com ácido hialurónico reticulado e o resultado dura dois anos e meio», afirma a dermatologista. O procedimento é feito sem anestesia, através de uma cânula flexível que permite um tratamento «indolor, sem produzir hematomas». «Com a cânula, «o produto é distribuído em leque de maneira uniforme, evitando os vasos, pelo que não dá origem a hemorragia», descreve.

Nas 24 horas seguintes, «o tempo que as incisões levam a fechar», devem evitar-se esforços mecânicos com as mãos. Para que a mobilidade de Piedade Gominho fosse menos afetada, cada mão foi tratada num dia. Foi feito uma sessão por mão (30 minutos cada), sendo que cada sessão deste tratamento tem um custo de 800 €.

«Introduziram um líquido através de umas cânulas entre os dedos, exceto entre o polegar e o indicador. Faz alguma impressão, mas não é nada que não se suporte. Depois a mão ficou um pouco dorida e inchada, mas é normal. Deram-me indicação para colocar gelo, para não molhar nem fazer força nas 24 horas seguintes e para ir fazendo umas massagens ligeiras no sentido ascendente», explica Piedade Gominho.

Cuidados acrescidos em casa e na clínica

Os cuidados que ajudam a prolongar os resultados dos tratamentos:

- Uma hidratação regular das mãos favorece o processo. Em casa, faça a aplicação de um creme hidratante várias vezes ao longo do dia.

- Na clínica, faça uma nappage com Restylane Vital. Trata-se de uma injeção intradérmica de ácido hialurónico em forma de leque, que se distingue do tratamento de preenchimento porque «o ácido hialurónico não é reticulado, é aplicado na derme mais superficial e a picada estimula a derme para a produção espontânea de colagénio e elastina», compara Alexandra Osório. O ácido hialurónico «ajuda também a hidratar a derme e irá preencher algumas depressões que possam existir quando estiver a desaparecer o ácido hialurónico do preenchimento».

O veredito final da vencedora

«Depois dos primeiros tratamentos, as mãos pareciam-me ainda mais secas, mas disseram-me que era normal e, de fato, passado alguns dias, ficaram mais hidratadas. Depois dos preenchimentos, ficaram mais atraentes, têm mais espessura e estão mais uniformes e agradáveis à vista. Os resultados são bons para a autoestima», conta Piedade Gominho.

Texto: Rita Miguel

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.