Natal, as luzes, a magia, o amor, a partilha, a família, o convívio, o conforto, a lareira, a mesa repleta de iguarias, de sabores, de cores e de texturas.

Uma época pela qual aguardamos todo o ano, pois é sempre especial. Mais especial ainda se torna quando há bebés a chegar ou a fazerem parte dela pela primeira vez.

Enquanto nutricionista seja no Natal, seja em qualquer dia do ano, a minha missão é passar a mensagem do quão é importante um estilo de vida saudável, partilhando formas de como o conseguir de uma forma simples, descomplicada e igualmente saborosa.

Esta é uma altura do ano em que facilmente se sai da rotina, e até aí tudo bem, alguns alimentos que não fazem parte do dia a dia é normal fazerem parte destes dias, e não há mal nenhum nisso porque Natal é Natal.

No entanto, é fundamental perceber a importância de haver um equilíbrio, de não ser o perdido por 100 perdido por 1000, de não cair em excessos desmedidos.

Estes cuidados devem ser transversais a todas as pessoas, mas acima de tudo devem ser tidos em conta por todas as futuras mamãs. Durante muitos anos achou-se e fez-se exatamente o oposto.

Mulheres grávidas comiam à vontade, tudo o que tinham direito, podiam e deviam comer por dois, além disso não deviam controlar nada porque os desejos falavam mais alto e os bebés podiam ser afetados se estes não fossem cumpridos.

Atualmente, sabemos que as coisas não funcionam assim. Sabemos que a alimentação/nutrição tem um papel importantíssimo tanto na saúde e bem-estar da grávida, como no desenvolvimento e programação genética do bebé. Como tal, devem sempre haver alguns cuidados.

Para que as mamãs consigam passar a época natalícia de uma forma mais saudável e equilibrada devem ter especialmente os seguintes cuidados:

- Fazer uma alimentação rica em fruta e verduras;

- Não saltar refeições;

- Preferencialmente, beber somente água;

- Fazer alguma atividade física, sair da mesa para fazer um jogo em família ou dar uma caminhada;

- Reduzir ao máximo a ingestão de fritos, se apetecer muito escolher 1 ou 2 no máximo;

- Controlar a quantidade ingerida de sobremesas, para diminuir ao máximo a ingestão de açucares simples;

- Não consumir bebidas alcoólicas;

- Não consumir carnes cruas, nem peixes crus, nem entradas ou sobremesas que levem ovos crus;

- Não consumir queijos que não tenham a certeza que são pasteurizados;

- Evitar ao máximo alimentos processados com ingredientes desconhecidos;

- Evitar cafeína, seja em chás, sobremesas, refrigerantes ou no próprio café;

- Não estar ansiosa relativamente à comida, se apetecer alguns alimentos diferentes perceber que isso faz parte, tentar apenas escolher o melhor para a mamã e para o bebé dentro das opções existentes;

- No dia a seguir ao Natal voltar à rotina da mamã sem dramas nem stresses;

- Falar com os papás sobre os receios, sobre quais irão ser os maiores desafios, de forma a eles serem um apoio e um pilar nestes dias.

Desfrutar sim, sempre, com equilíbrio, com consciência, com saúde, com bem-estar (físico, mental e emocional), com prazer, com muito sabor e nutrientes.

Sem extremismos, sem fundamentalismos, sem descontrolo total, sem esquecer a responsabilidade sobre o bebé que está a crescer dentro de cada mamã, sem culpas e sem arrependimentos.

Haja bom senso, muito amor e muita alegria (assinado: o vosso futuro bebé)!

Artigo de opinião assinado pela Nutricionista Mariana José, uma das profissionais das Conversas com Barriguinhas

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.