«Don’t fucking shoot!», em português «Não dispare!». Esta foi a frase que um papagaio que foi testemunha do homicídio do dono não parava de repetir. A garantia é dada pela ex-mulher do falecido que, na altura, encontrou o cadáver, avança a agência noticiosa Associated Press. O proprietário da ave, Martin Duram, residente no Michigan, nos EUA, foi assassinado a tiro em casa em maio de 2015. Agora, as autoridades não sabem se devem ter em conta o testemunho do animal.

Depois da morte do antigo companheiro, Glenna Duram, a norte-americana ficou a tomar conta de Bud, um papagaio do Gabão que não se cansa de repetir a frase que atraiu a atenção das autoridades que investigam o crime. Nos primeiros meses de 2016, o procurador que lidera a investigação tem tentado recolher o depoimento do pássaro mas muitos especialistas duvidam da validade jurídica das declarações.

A insólita situação ocorrida em Ensley Township tem, inclusive, sido alvo de piadas e brincadeiras. «Quando perguntarem ao papagaio se ele jura dizer toda a verdade em tribunal, o que é que ele deverá fazer? Levantar a asa ou levantar a pata?», gracejam mesmo alguns dos agentes próximos da investigação. O pai de Martin Duram afirma que o filho foi morto pela ex-mulher, assegurando que é para vingar a morte do dono que o papagaio não se cala.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.