Não se deixe contagiar pelo pessimismo, mesmo nos momentos de maior stresse. Por pior que seja a tempestade, mantenha sempre a tranquilidade, a noção dos seus valores e o foco nas suas prioridades. As emoções são contagiosas mas a paz de espírito também o é. Procure, por isso, relaxar. "Uma pessoa que conserva a calma é um pouco como uma ilha no meio do mar quando todos parecem poder afogar-se", afirma mesmo o psicólogo Vítor Rodrigues, autor de livros como "Constrói a tua felicidade", publicado pela editora A Esfera dos Livros.

1. Oiça (mais) música

O êxito do último verão, a sua canção favorita dos tempos de estudante, aquele tema que adora dançar com o seu parceiro ou a que canta com o seu filho vão fazer milagres por si. Traga-os sempre consigo e use-os como antídoto sempre que o som ambiente não lhe agrada. Reúna, numa pen, num CD, no leitor de mp3 ou numa pasta do seu computador, uma seleção de música e oiça-a, idealmente ao som ambiente, no local de trabalho. Em alternativa, pode recorrer a sites como o YouTube ou a uma das plataformas de audição.

2. Respire fundo

Nos momentos de maior pressão, não deixe os nervos vencerem. Respire fundo, pondere os seus atos e, nem que seja interiormente, sorria. Um sorriso ajuda a fomentar os pensamentos positivos e, segundo os autores de vários estudos científicos internacionais, pode até ajudar na recuperação da depressão. Faça chuva ou faça sol, sorria sempre e respire tranquilamente.

3. Exercite-se

Sempre que puder e tiver essa possibilidade, faça ginástica no local de trabalho. Os exercícios de alongamento favorecem a agilidade física e reduzem o stresse. "Sentado, estique uma perna e incline o tronco para a frente com suavidade, sem fletir a coluna", aconselha Elvis Carnero. "Este exercício permite alongar os músculos posteriores da coxa", esclarece o fisiologista do exercício. Nos momentos de tensão em que só lhe apetece gritar, há outra coisa que pode fazer.

Contraia todos os músculos do rosto ao máximo durante 15 segundos. De seguida, relaxe e repita esse gesto. Sente-se melhor?  "A contração e o relaxamento repetitivo ajudam a libertar a tensão retida acima do pescoço", garantem os populares médicos norte-americanos Mehmet C. Oz e Michael F. Roizen, autores do livro «You - Sempre Jovem», publicado em Portugal pela editora Lua de Papel. Fazer uma pausa de cinco minutos para caminhar também ajuda a relaxar.

4. Privilegie o contacto cara a cara

40 era o número de vezes que uma pessoa, em média, via o e-mail por hora, revelava, na década de 2010, um estudo elaborado por uma equipa de cientistas da Universidade de Glasgow, na Escócia. De acordo com a investigação, o sexo feminino é o que mais sofre com esta avalanche de informação. Nos dias de hoje, com a profusão de redes sociais, a percentagem de e-mails, mensagens, comunicações e notificações é ainda maior.

Se está soterrado em e-mails, mensagens escritas, gravações de voz e/ou telefonemas, simplifique e aprenda a racionalizar estas formas de interação social. "Siga o bom senso", aconselha o psicólogo Vítor Rodrigues. "Saiba desligar ou silenciar o telemóvel e comunique pela internet só em períodos autodeterminados. Desenvolva uma maturidade afetiva e revalorize a comunicação direta, cara a cara", sugere ainda o especialista.

5. Acabe com a desorganização

Inspire-se na simplicidade oriental e organize o seu escritório ou o seu local de trabalho. Livre-se do que não precisa, defina um lugar para cada objeto e incentive os restantes elementos da equipa a zelar pela harmonia e pela arrumação do espaço. Como alerta Dominique Loreau, autora do livro "A arte da simplicidade", uma obra editada em Portugal pela Bizâncio, "a ordem economiza tempo e alivia a memória". Uma pessoa com a cabeça (mais) arrumada tem também um espírito mais tranquilo.

6. Procure uma fonte de rendimento extra

Em tempos de crise global, como a que temos vivido nas últimas décadas, nada como jogar pelo seguro, não colocando os ovos todos na mesma cesta. "Criar um trabalho para si para ter outra fonte de rendimento, como por exemplo arrendar um imóvel, ter uma parceria num negócio ou dar explicações. É importante ser proativo e explorar possibilidades", defende Pedro Queiroga Carrilho, especialista em finanças pessoais.

Apostar numa atividade lúdica que possa explorar comercialmente é outra possibilidade a explorar. Tricotar, bordar, pintar ou fazer bijutaria são algumas formas de o conseguir. Para além de ajudarem quem as pratica a abstrair-se da realidade, podem ser vendidas. A venda online de coisas de que já não precisa, em plataformas digitais como a Vinted ou o OLX, são outras formas de conseguir mais espaço e melhorar as suas finanças.

7. Socialize mais

Não vá trabalhar sozinho. Tem um amigo que mora perto de si e trabalha na mesma zona da cidade? Faça o percurso a dois, a pé, de transportes públicos ou partilhando o carro, se for caso disso. Para além de dividir os custos de combustível e de estacionamento, pode aliviar o stresse com uma conversa animada, ignorando o trânsito que tanto nos irrita.

8. Defina objetivos (mais) realistas

Em casa e no trabalho, é fundamental seguir esta regra. É verdade que, nos dias de hoje, conseguimos realizar várias tarefas em simultâneo mas isso não implica, todavia, que tenha de preencher o seu dia como se ele tivesse 48 horas. Por muito que gostasse que fosse assim e até se esforce para tentar rentabilizar todas as suas ações, não pode querer fazer este mundo e o outro. Estabeleça prioridades e aprenda a dizer que não ao que não lhe faz sentido. Verá que, depois disso, o seu sim passará a ter muito mais valor.

9. Proteja a sua vida afetiva

Deixe o trabalho no escritório e faça a transição entre o modo profissional e o pessoal antes de chegar a casa, para não descarregar no parceiro as frustrações do quotidiano e também para tirar maior partido do (pouco) tempo a dois que tem. "Para preservar a harmonia no casal, é vital combater a necessidade quase automática de despejar no outro os problemas e o stresse do dia", alerta mesmo Marta Crawford, sexóloga, autora de livros como "Diário sexual e conjugal de um casal".

10. Valorize-se pelo que é e não pelo que tem

Nos agitados dias que correm, esta é uma regra que não deve descurar. As redes sociais aumentaram consideravelmente a pressão social, gerando mais ansiedade, nervosismo e stresse no dia a dia. Direta ou indiretamente, o nosso trabalho também acaba por ser afetado por esta coação autoinflingida. "Pare de tentar impressionar as outras pessoas e não viva acima das suas possibilidades. É importante ter um controlo orçamental rígido e ver onde pode reduzir gastos", alerta Pedro Queiroga Carrilho, especialista em finanças pessoais.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.