Miopia, hipermetropia e astigmatismo. De certeza que conhece os nomes, ou não fossem os problemas de visão mais comuns. Mas será que sabe o que os caracteriza?

«Não são mais do que irregularidades na forma ou na dimensão do olho», explicou-nos o médico oftalmologista Luís Gouveia Andrade.

No âmbito desta definição encontram-se, no entanto, problemas de naturezas distintas. Saiba como se distinguem:

Miopia (ou hipometropia)

Os objectos próximos são vistos com nitidez, mas os distantes surgem desfocados, turvos. Pode ser corrigida com lentes divergentes, que desloquem o ponto focal para trás, aplicadas em óculos ou lentes de contacto, ou através
da cirurgia.

Hipermetropia

Permite boa visão ao longe e dificuldade na focagem do que está perto, originando dores de cabeça e desconforto. Frequentemente passa com o crescimento do olho. É comum as crianças deixarem de precisar de óculos com a idade.

Astigmatismo

O formato irregular da córnea (em vez de redonda é ovalada) faz com que a luz se espalhe por vários pontos, impedindo uma correcta focagem, ao perto e ao longe, como se se olhasse através de um vidro ondulado. É hereditário e pode ocorrer em simultâneo com miopia e hipermetropia. A correção passa por usar uma lente que converge a luz num só ponto, em óculos, lentes de contacto e através de operação.

Texto: Joana Andrade com
Luís Gouveia Andrade (médico oftalmologista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.