Qual a parte do seu orçamento mensal que está destinada à sua saúde?
5%, 10%, 15%? Se muitas outras
áreas da sua vida financeira
podem ser ajustadas ao período
de crise mais facilmente, a saúde
pede um maior exercício
de gestão entre as poupanças
e o seu nível de conforto.

Aprenda, por isso, a poupar na saúde,
sem poupar no seu bem-estar.

Seguro de saúde

Fazer um seguro de saúde pode
significar maior proteção na
doença, mas tenha em conta
algumas regras que podem
tornar mais barato este produto
financeiro:

- Pagar o prémio de uma só vez
anualmente é mais barato do que
fracionar pagamentos e quanto
mais fracionar mais elevado será
o prémio do seu seguro.

- Os prémios do seguro baixam
à medida que mais familiares
se juntam ao plano de saúde,
pagando menos por cada
elemento adicional.

- Ajuste o seguro às suas reais
necessidades. Os seguros têm
várias coberturas que
se ajustam a perfis diferentes
de segurados e os preços variam,
por exemplo, com as despesas
de hospitalização cobertas ou
a hospitalização no estrangeiro.
Se não sai do país para quê
contratar esta opção ou ter
um seguro com proteção na
gravidez e parto se já não está
a pensar ter filhos?

Medicamentos genéricos

De acordo com o Infarmed,
os medicamentos genéricos
«apresentam a mesma segurança
e eficácia do medicamento
de referência, traduzida
na demonstração de bio
equivalência, através de estudos
de biodisponibilidade. São 20%
ou 35% mais baratos do que o
medicamento de referência, com
a mesma forma farmacêutica
e igual dosagem caso não
exista grupo homogéneo.

Este facto acaba por reverter numa vantagem
económica para os utentes,
porque estes medicamentos são
substancialmente mais baratos
do que o medicamento de
referência, e para o SNS porque
permite uma melhor gestão dos
recursos disponíveis. No caso
de existir grupo homogéneo, o
preço de venda ao público é igual
ou inferior ao preço de referência
desse grupo. Aconselhe-se junto
do seu médico.

Finanças doentes = aumento de risco de vida

O aumento das dívidas
promove a ingestão
de alimentos de má
qualidade, potenciando
o excesso de peso e o risco
de desenvolvimento
de doenças crónicas.
A depressão e o consumo
de tabaco são outros efeitos
potenciais de uma situação
de rutura financeira, refere
um estudo da Universidade
de Mainz.

Veja na página seguinte: Três passos a seguir para melhorar a sua gestão

Três conselhos que vão melhorar a sua gestão financeira

Estes são os passos que deve seguir:

1.º passo
Aponte todas as suas
despesas no próximo mês
e examine-as no final desse
período.


2º passo

Defina quanto quer gastar,
onde e quanto pode cortar
em algumas áreas mais
penalizadoras dos seus
rendimentos e seja rigorosa.


3º passo

Mantenha uma poupança
mensal de dez por cento do
ordenado para urgências,
para não entrar em crise
caso alguma das suas
fontes de rendimento
seja afetada por
desemprego ou doença.

Texto: Saldo Positivo (equipa editorial especialista em finanças pessoais)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.