Uma produção deficiente das hormonas tiroideias (T3 e T4) conduz ao hipotiroidismo, uma doença que provoca uma diminuição do metabolismo e que conduz ao aumento do peso, pela retenção de líquidos e aumento da massa gorda corporal. Embora esta alteração seja pouco recorrente em pessoas com excesso de peso, alguns investigadores defendem que existe um hipotiroidismo subclínico, em que os valores das hormonas tiroideias estão dentro de parâmetros normais, mas muito próximos dos valores mínimos.

Nestes casos, verifica-se geralmente que a pessoa tem temperatura corporal muito baixa, tende a acumular água no organismo, sente-se particularmente cansada, tem prisão de ventre e tendência para engordar. No fundo, e segundo os proponentes desta teoria, nesta situação os níveis de hormonas tiroideias, embora dentro dos limites mínimos, não são suficientes para assegurar as diversas funções do organismo, nomeadamente o controlo do peso.

Como funciona a tiroide

As hormonas T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina) têm como função principal regular o metabolismo. Quanto maior a sua concentração, maior será a taxa metabólica. A regulação destas substâncias acontece quando a hipófise percebe a diminuição destas hormonas libertando a TSH que, por sua vez, irá estimular a tiroide para produzir maior quantidade destas duas hormonas.

No sangue, níveis elevados de TSH, acima dos 4 mIU/ml, são representativos de hipotiroidismo. Contudo, é necessário fazer uma avaliação dos sintomas para um diagnóstico mais fidedigno. Saiba também quais são as doenças da tiroide e veja ainda a ligação entre tiroide e gravidez.

O que pode fazer para se proteger

São aconselhadas a prática de atividade física e uma alimentação saudável, devendo regular os níveis de açúcar no sangue, eliminando alimentos que forneçam açúcar de rápida absorção como os cereais processados e açúcares.

Suplementos que ajudam

Para controlar os sintomas associados a níveis baixos das hormonas tiroideias recomendam-se os seguintes suplementos:

- Vitamina B12

Potencia uma energia constante e ajuda a renovar as células vermelhas sanguíneas. Sem esta vitamina, as células não atingem a maturidade e não sobrevivem. Recomenda-se a toma de 3000 mcg, oralmente, durante dois a quatro meses.

- Ferro

Dá energia, sendo usado nas reações metabólicas importantes, e é uma parte essencial da hemoglobina, a proteína que transporta o oxigénio no sangue.

- Magnésio

Fundamental nas reações energéticas, acelerando-as. São recomendados 350 mg diários.

- Coenzima Q10

Facilita os processos cardíacos, potenciando o funcionamento do coração. Possibilita uma maior injeção de sangue na corrente sanguínea decorrente dos batimentos cardíacos, levando mais nutrientes a todo o corpo. É sugerida a toma de 50 mg diários.

Texto: Teresa Branco (fisiologista na gestão do peso e diretora do Instituto Profª. Teresa Branco)

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.