Doenças da tiróide

Os sintomas a que deve estar atento

Estudos internacionais recentes revelam que a maior parte das pessoas desconhece as doenças da tiróide, nomeadamente o hipotiroidismo, os nódulos da tiróide, as tiróidites, o carcinoma medular da tiróide e o cancro da tiróide, que afectam mais de um milhão de pessoas em Portugal.

Muitas nem sequer têm ideia de como estas, apesar de poderem ser facilmente tratadas com recurso a cirurgia e/ou um tratamento com iodo radioactivo após a operação, podem afectar o seu bem-estar.

Cansaço constante, memória enfraquecida, mudanças de humor, dificuldade em dormir, alterações de peso e depressão são alguns dos sintomas associados a estas doenças. Estes sintomas estão, no entanto, longe de ser exclusivos destas doenças, podendo mesmo mascarar outras, daí a necessidade de apostar na prevenção e na vigilância, sobretudo no que se refere ao controlo de nódulos e à observação regular do bócio.

As doenças da tiróide atingem maioritariamente as mulheres, especialmente a partir dos 35 anos, sendo a sua incidência oito vezes maior nas mulheres comparativamente aos homens. O aparecimento de nódulos também é cinco vezes mais frequente nas mulheres, o que não faz contudo desta uma doença tendencialmente feminina.

Estas doenças podem ainda trazer consequências mais graves nas mulheres grávidas e nas crianças, afectando o seu desempenho físico e mental, uma vez que provocam dificuldades de aprendizagem que podem estar na origem de um mau desempenho escolar. De acordo com a Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo (SPEDM), um dos principais factores de risco para o aparecimento de alterações da função da tiróide reside numa alimentação deficitária em iodo.

«Em Portugal, a maior parte das pessoas desconhece os efeitos negativos que as doenças da tiróide têm no seu
dia-a-dia. É importante estar atento ao aparecimento de sinais ou sintomas, até porque, depois de diagnosticada, a maioria das doenças tem um tratamento fácil», afirma Maria João Oliveira, coordenadora do Grupo de Estudo da Tiróide da SPEDM.

«A prevenção é também fundamental e passa pelo aumento da quantidade de iodo na dieta. No entanto, os últimos estudos revelam que há carência de iodo elevada em algumas zonas do país. Este facto é preocupante especialmente para as mulheres grávidas e crianças, uma vez que o iodo é essencial para o desenvolvimento físico e mental da criança», alerta ainda esta especialista.

Maio 2011

@SAPO

artigo do parceiro:

Comentários