O óleo de Krill tem a sua proveniência de uma espécie de crustáceo, similar a um camarão.

Estes pequenos crustáceos, podem ser encontrados em águas oceânicas frias e servem de alimentação a animais como baleias, mantas e tubarões-baleia.

Na Noruega, a palavra Krill significa mesmo comida de baleia.

Ultimamente, existe uma maior procura por este óleo, devido à sua utilização cada vez mais comum na medicina e ao facto de se encontrarem algumas evidências da sua efetividade em relação ao óleo de peixe – ómega 3

Este tipo de óleo, tem ácidos gordos tipo ómega 3, como EPA e DHA, (principais constituintes do óleo de peixe) mas com uma estrutura mais similar às paredes celulares da gordura, o que lhe confere uma maior absorção.

Ao contrário do óleo de peixe, os ácidos gordos presentes no óleo de krill. são melhor absorvidos e conduzidos até às células.

Existe ainda um outro componente, a cantaxantina, um poderoso antioxidante que se sugere ter uma maior eficácia em relação aos presentes nos óleos de peixe.

De acordo com a comunidade internacional, o aumento da utilização de suplementação com óleo de krill, em deterimento da suplementação de óleo de peixe é bastante evidente e com uma grande probabilidade de crescimento, pelos seus benefícios.

A utilização do óleo de Krill é recomendada para o tratamento de doenças cardíacas, hipercolesterolemia, hipertensão, artroses, períodos menstruais dolorosos, cancro, entre outros.

A investigação científica já realizada, mostra que tomar 1 a 1,5 gramas deste óleo diariamente, reduz o colesterol total, reduzindo o LDL (mau colesterol) e aumentando o HDL (bom colesterol), em pacientes que sofrem de colesterol elevado.

Doses mais elevadas, 2 a 3 gramas são indicadas para a redução dos níveis de triglecerídeos.

Nos casos de osteoartrite, a pesquisa mostra que 300mg de um produto de óleo de krill ingerido diariamente, reduz a dor e rigidez.

Para condições patológicas como o cancro, depressão e ataque cardíaco, ainda são esperadas conclusões cientificas mais aprofundadas sobre a eficácia deste óleo.

Os únicos efeitos colaterais ainda conhecidos, podem ser similares ao óleo de peixe, como o mau hálito, azia ou o gosto a peixe.

De realçar que pessoas que são alérgicas a crustáceos podem também ser alérgicos a suplementos de óleo de krill.

myprotein

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.