Basta uma pequena pesquisa online para dar de caras com a lista negra de efeitos secundários já comprovados deste composto: pode provocar enxaquecas, espasmos musculares, arritmias, náuseas, alergias, ataques epiléticos, depressão e até agravar os sintomas do autismo.

15 alimentos que ativam o gene do emagrecimento
15 alimentos que ativam o gene do emagrecimento
Ver artigo

O glutamato monossódico é um composto que deriva do ácido glutomático, um dos aminoácidos não essenciais mais abundantes na natureza. "O ácido glutomático está presente de forma natural nos alimentos como o tomate, queijo ou cogumelos", diz Gema Vera, professora de Farmacologia e Nutrição na Universidade Rey Juan Carlos, em Madrid, Espanha.

"Mas desde há algum tempo, o seu sal sódico [glutamato monossódico] tem sido utilizado como aditivo alimentar", algo autorizado pela Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA), escreve o El País.

O corpo humano não distingue entre a vertente adicionada e a natural deste elemento químico considerado o quinto sabor: para além do doce, salgado, ácido e amargo, existe uma outra sensação degustativa chamada umami e que deriva da adição deste elemento químico.

E-621, o potenciador de sabor

O umami é um sabor próprio da cozinha ocidental, embora também possa ser encontrado no presunto e até no leite materno. A palavra foi proposta pelo professor de química Kikunae Ikeda e em japonês significa "sabor delicioso".

10 truques médicos para se livrar dos dentes amarelos
10 truques médicos para se livrar dos dentes amarelos
Ver artigo

Apesar do glutamato monossódico ser parecido ao sal e ao açúcar do ponto de vista visual, não tem sabor quando ingerido isolado. É apenas um potenciador de sabor. Ou seja: tudo fica mais saboroso com o E-621.

"Como o glutamato aumenta a palatabilidade, os alimentos parecem ter mais sabor e isso pode fazer-nos comer mais do que devamos e engordarmos", comenta Marta Crespo, nutricionista clínica do serviço de Endocrinologia e Nutrição da Fundación Jiménez Díaz, citada pelo mesmo jornal.

Em julho de 2017, a EFSA reavaliou a segurança deste aditivo e estabeleceu novos limites: a ingestão diária admissível é de 30 miligramas por cada quilo de peso do consumidor, ou seja, um homem com 80 quilogramas pode ingerir 2,4 gramas por dia.

A partir dessa quantidade surgem os efeitos secundários já descritos, como dor de cabeça, pressão arterial alta e aumento dos níveis de insulina no sangue, defende aquela agência europeia.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.