1. Abandonar a ideia de que as crianças são um item à parte nas ementas

Há que saber dizer não à ideia de que, nas ementas, a comida para as crianças deve apresentar-se como um item à parte, diferente do dos adultos. Os mais pequenos, findo o primeiro ano de vida, não só podem, como devem, ter no prato alimentos iguais aos dos adultos, respeitando as porções adequadas para a idade. A nossa gastronomia é riquíssima, com pratos diversos (sopas, arrozes, massas, diferentes confeções, como as jardineiras, os assados, os estufados, as cataplanas) e nutricionalmente ricos, com diversidade de alimentos. Uma diversidade que, quando experimentada, educa o gosto para a grande variedade de sabores.

2. Hortícolas faltam nos menus infantis

Os hortícolas são parte inalienável da alimentação e muitas vezes ausentes nos menus infantis. A sopa, um dos elementos que contribui para o consumo de hortícolas, só por si não basta. Há que diversificar para atender às recomendações da Organização Mundial da Saúde. Há, como tal, que encontrar nas ementas diversidade nos hortícolas, apresentados em saladas coloridas ou sob a forma de legumes cozinhados, salteados, assados, grelhados, entre outros (de acordo com a tipologia de prato do restaurante).

vegetais
créditos: Dose Juice

3. Pescado sim, mas não apenas douradinhos

Mais pescado, menos carne. Este pode ser o lema a adotar numa ementa equilibrada. O pescado é mais saudável e mais sustentável ambientalmente do que a carne e um elemento importante na Dieta Mediterrânica. As crianças devem de ser estimuladas a consumir pescado, assim como a adquirir competências de identificação e remoção das espinhas, não devendo ficar limitadas a ´douradinhos` e filetes.

4. Mais criatividade nos acompanhamentos

Presença recorrente nas ementas infantis é a das batatas fritas. O apetite das crianças parece ser sinónimo de acompanhamento acabado de sair de uma fritura e que nada acrescenta à refeição. Isto, quando há uma panóplia de alimentos nutricionalmente interessantes para levar ao prato, para além das batatas fritas. Optando-se, de facto, pelas batatas, porque não apresentá-las assadas com ervas aromáticas? ou cozidas com pele de forma a preservarem mais sabor.  Ou ainda em puré, gratinadas. Acresce que, há vida nos acompanhamentos para além das batatas. As ementas podem oferecer leguminosas diversas, castanhas, arroz ou massa de diferentes formas. Falha a criatividade na apresentação e nos ingredientes.

É a batata-doce frita mais saudável do que a tradicional? A nutricionista esclarece
É a batata-doce frita mais saudável do que a tradicional? A nutricionista esclarece
Ver artigo

5. Fruta deve chegar à mesa mais barata do que o doce

Não menos importante, a sobremesa deve privilegiar as frutas face aos doces. Uma mudança que deveria de ocorrer paralela a uma apresentação mais apetecível e diversa das frutas nas ementas, assim como um preço mais acessível destas face aos doces.

6. O brinquedo, uma recompensa por uma refeição saudável

Finalmente, uma estratégia para fomentar escolhas mais saudáveis, no caso dos restaurantes que oferecem brinquedos promocionais com o menu infantil, seria a do brinquedo como recompensa face a escolhas mais saudáveis, como a escolha da água, fruta, por oposição aos fritos, snacks e refrigerantes.


Cláudia Viegas é Professora Adjunta na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril. Os seus principais interesses de investigação estão relacionados com Saúde Pública, em particular o que se relaciona com a Promoção e Proteção da Saúde em relação à Alimentação, Nutrição e Estilos de Vida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.