O consumo exagerado de sal, associado ao excesso de peso ou obesidade, poderá causar hipertensão arterial como já se tem constatado em crianças e adolescentes entre os 5 e os 18 anos de idade, que apresentam valores elevados de pressão arterial.

A maioria dos casos que ocorrem atualmente estão associados ao estilo de vida das crianças e adolescentes, como a alimentação desajustada, caracterizada pelo excessivo consumo de alimentos ricos em açúcares, gordura e sal, (e pobre em fibras, vegetais e fruta) e pelo sedentarismo, com longos períodos de tempo em frente à televisão, telemóvel e computador.

Tenha cuidado com alguns alimentos até aos 4 anos de idade
Tenha cuidado com alguns alimentos até aos 4 anos de idade
Ver artigo

Para que tal não ocorra, e apesar de não haver uma quantidade “certa” de sal estipulada a ingerir por dia, a quantidade de sal ingerida diariamente não deve ser ultrapassada consoante a faixa etária:

  • No primeiro ano de vida não deve ser introduzido sal na alimentação;
  • Na idade inferior a 10 anos o consumo de sal não deve ultrapassar os três gramas diários;
  • Entre os 10-17 não deverão ser ultrapassados os 5 gramas diários.

O que podemos fazer para travar o consumo excessivo de sal?

É em resposta a esta pergunta que o Programa Menos Sal Portugal tem procurado conduzir as famílias para uma alteração de comportamentos e uma redução consciente das quantidades de sal utilizadas e consumidas. Em sintonia, acredito que começar com pequenas mudanças e introduzir novos hábitos alimentares no dia-a-dia tornará possível controlar a ingestão do sal, tais como:

  • Diminuir a quantidade de sal ao cozinhar e, caso utilize, optar por sal iodado;
  • Retirar o sal fino da mesa na altura das refeições;
  • Habituar o paladar das crianças ao tempero com especiarias e ervas aromáticas, que contribuem para o sabor das refeições sem que haja necessidade de recorrer ao sal;
  • Preferir alimentos frescos ao cozinhar, uma vez que os produtos embalados/congelados como leguminosas, vegetais, carne e pescado já têm adição de sal;
  • Restringir a ingestão de alimentos salgados, como por exemplo alimentos processados industrialmente (bolachas, snacks, salgados), pré-confecionados (noodles, panadinhos de peixe, nuggets, batatas pré-fritas), produtos de charcutaria, salsichas, alguns queijos, caldos concentrados, fast-food.
  • Evitar o consumo de determinados molhos pré-preparados como maionese, mostarda, ketchup, molhos para batatas;
  • Moderar a ingestão de águas minerais gaseificadas devido ao alto teor de sódio;
  • Beber 1,2 litros a 1,5 litros de água diários.

As recomendações são da nutricionista Mónica Pitta Grós Dias, do Centro da Criança e do Adolescentes do Hospital Cuf Descobertas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.