As vitaminas são vitais para a nossa saúde e longevidade. «Elas estão envolvidas em vários processos relacionados com a transferência e armazenamento de energia, proteção e reforço do nosso sistema imunitário, formação de ossos e tecidos e manutenção de funções celulares», explica o especialista em nutrição e longevidade Humberto Barbosa.

«Cada vitamina tem um papel vital e específico e cada uma tem uma tarefa a desempenhar na nossa saúde», refere a nutricionista Carla Ferreira.

E é, por essa razão, que «é importante manter os níveis vitamínicos adequados», alerta esta nutricionista, que, para esse efeito, recomenda a realização de um check-up ortomolecular para identificar os níveis de vitaminas, minerais, oligoelementos e metais pesados no organismo, bem como o nível de radicais livres e o perfil  alérgico alimentar.

Para além disso, um bom aporte vitamínico, de acordo com o especialista Humberto Barbosa, «pode impedir doenças durante a infância que condicionem o desenvolvimento físico, como o raquitismo, evitar possíveis malformações durante a gestação, prevenir eventuais infeções ao longo da vida e contrariar o envelhecimento precoce».

Estas são algumas das recomendações dos especialistas que deve procurar seguir:

- Aumente o consumo de vitaminas, ingerindo alimentos frescos e não  processados

- Prefira legumes e frutos coloridos

- Introduza na alimentação diária doses de frutos secos e peixes gordos

Menu multivitamínico para um dia

Faça regularmente uma refeição deste género de modo a restabelecer os seus níveis de vitaminas:

Entrada: Salada de rúcula com cenoura, cebola, tomate cherry, nozes e lentilhas
Prato principal: Salmão grelhado com brócolos, beterraba, tomate e massa integral + um sumo natural de laranja
Sobremesa:
Salada de frutos vermelhos

Privilegiar alimentos ricos em fibras na sua alimentação poderá também
trazer-lhe mais longevidade. Alguns estudos científicos mostraram que a
fibra pode reduzir o risco de desenvolver doenças cardíacas.

Humberto
Barbosa, especialista em nutrição e longevidade, explica que «as fibras
limitam a absorção do colesterol ao nível intestinal, contribuindo desta
forma para a diminuição do nível do colesterol sanguíneo. Podem também ajudar na diminuição do peso corporal (um fator
de risco cardiovascular), uma vez que aumentam a sensação de
saciedade».

A nutricionista Carla Ferreira adianta ainda que «as fibras contribuem
também para acelerar a motilidade e o trânsito intestinal, diminuindo,
desta forma, o tempo de exposição da parede do cólon a agentes
potencialmente agressores, como agentes tóxicos e cancerígenos, além de
reforçarem a atividade protectora das bactérias que formam a flora intestinal».

As dicas dos especialistas

Estes são outros hábitos que deve passar a integrar na sua rotina alimentar:

- Inclua nas suas refeições diárias cereais integrais não açucarados,
pão escuro, arroz e massas integrais, leguminosas, legumes e fruta.

- Ingira, pelo menos, cerca de 30 gramas de fibra por dia. Os frutos
vermelhos como as framboesas, morangos, mirtilos são muito ricos em
fibra, tal como os quivis, as laranjas e as mangas.

- Faça um pequeno-almoço rico em fibras, com uma dose de fruta (por exemplo, frutos
vermelhos), um iogurte natural e duas fatias de pão escuro ou 30 g de
cereais integrais (misture flocos de trigo e de aveia integrais com
algumas sementes).

Texto: Sofia Cardoso com Carla Ferreira (nutricionista) e Humberto Barbosa (especialista em nutrição e longevidade)

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.