Pertence ao vasto grupo de pessoas escravas do efeito ioiô? Emagrece, recupera os quilos perdidos (acompanhados de mais alguns), depois volta à dieta e assim sucessivamente? Mude de táctica para ganhar saúde. Eliminar alguns quilos e conseguir que a balança indique um peso saudável é o objectivo de muitas pessoas para manter uma vida sã. Não só ajuda a sentirem-se melhor à frente do espelho, como reduz o risco de sofrerem de doenças típicas da nossa era como doenças cardiovasculares, diabetes ou hipertensão.

Para emagrecer, o recurso mais eficaz continua a ser a dieta. Mas esta história tem um segundo capítulo. Uma vez perdidos os quilos, há que saber manter o novo peso. Em geral, esta tarefa, revela-se muito difícil, mas graças às estratégias que lhe indicamos de seguida, com a ajuda da dietista Marisa Costa, pode concluí-la com sucesso.

Estratégia 1: Estabeleça metas razoáveis

O erro

A ambição não é uma boa aliada. Se o seu objectivo é eliminar muitos quilos, o mais provável é não o conseguir. A frustração vai surgindo ao mesmo tempo que os seus objectivos não são cumpridos, o que vai fazer com que abandone a dieta à primeira mudança. A longo prazo, acabará por comer mais do que deve e, em vez de emagrecer, vai obter o efeito contrário, engordar.

A solução

Seja realista e defina uma meta fácil de atingir. Por exemplo, perder 10% de peso é viável e é um objectivo que pode levar a cabo sem grande esforço. Menos 10% de massa corporal é facilmente visível, sobretudo na hora de se vestir. Se pesar 70 quilos e eliminar sete, isso equivale a dois números de roupa abaixo.

A ter em conta!

Perder 10% de peso reduz entre 50% a 60% as possibilidades de sofrer de doenças como hipertensão, diabetes, excesso de colesterol ou doenças cardiovasculares. Para além disso, a sua nova silhueta melhorará a sua
auto-estima.

Estratégia 2: Devagar mas sem pausas

O erro

Quanto
mais depressa eliminar quilos, mais rapidamente os volta a ganhar. Não
se fie em fórmulas mágicas, porque o importante para manter o peso é ser
constante durante a dieta e depois de a terminar. Emagrecer aos poucos
ensina-a a adquirir hábitos, o que vai permitir desfrutar do seu novo
peso por mais tempo.

A solução

Escolher uma dieta
que permita eliminar entre meio quilo a um quilo por semana. Assim o
recomenda a OMS (Organização Mundial de Saúde). Se seguir este ritmo,
vai ser muito mais simples não voltar ao peso anterior. As dietas de
manutenção não são tão restritivas como as iniciais.

A ter em conta!

Deve
seguir a dieta de forma regular e disciplinada de segunda a
sexta-feira, sem a esquecer por motivo algum. Ainda que possa ser um
pouco duro, vai permitir-lhe pequenas compensações (sem abusar, claro)
ao sábado e ao domingo.

Estratégia 3: Não salte refeições

O erro

Passar muitas horas sem comer é pouco conveniente, mas, infelizmente, muito habitual. Coma em menores quantidades, mas mais vezes. Saltar refeições também é prejudicial. Quem o faz tende a compensar este hiato comendo de forma exagerada (em qualidade ou quantidade) na primeira ocasião que se sentar à mesa.

A solução

O organismo necessita das suas doses de comida a horas certas e, se isto não acontecer, estimula os centros de fome. Assim, o apetite é muito maior com várias horas de jejum do que quando o estômago recebe uma porção moderada de alimentos. O ideal será fazer cinco refeições ao longo do dia (pequeno-almoço, merenda, almoço, lanche e jantar).

A ter em conta!

O processo metabólico realizado pelo aparelho digestivo implica um gasto de energia (calorias) que, às vezes, é superior ao que tem o próprio alimento que se está a ingerir. É o caso dos iogurtes ou das maçãs.

Estratégia 4: Faça desporto, mas sem exagerar

O erro

Praticar
exercício como se fosse uma actividade extenuante. Está provado que com
exercício muito agressivo não se queimam nem gorduras nem açúcares
(glicogénio), energia de rápida utilização e muito fácil de eliminar.
Portanto, não se emagrece. Perde peso quando usa energia de lenta
utilização, ou seja, gordura.

A solução

Fazer
desporto é saudável, barato e gratificante. Para além disso, o exercício
físico moderado, mas constante, é o factor mais importante para
garantir que o peso perdido não vai ser recuperado, permitindo eliminar
calorias de forma regular. Quanto? A resposta resume-se a esta máxima,
tanto quanto for capaz de tolerar bem a longo prazo.

A ter em conta!

Meia
hora por dia a praticar qualquer desporto a um ritmo moderado
(inclusive andar depressa) ou uma hora em dias alternados é uma maneira
eficaz de manter os quilos na linha e prevenir doenças associadas à
obesidade.

Estratégia 5: Escolha o momento mais propício

O erro

Fazer dieta quando as circunstâncias são adversas é pouco eficaz. Um
desfecho vitorioso depende em boa medida do momento que escolhe para a
batalha. Se estiver desempregada, tiver terminado um namoro ou perdido
um ente querido, nem pense em fazer dieta. Espere por circunstâncias
mais felizes.

A solução

Iniciar a dieta numa boa fase da sua vida (estar apaixonada, ter
arranjado emprego, ou comprado um bom apartamento, por exemplo). Tenha
sempre em conta que existem circunstâncias favoráveis para seguir ou
manter uma dieta, e outras que a impedem de levá-la a bom porto. Procure
fazê-lo num momento de estabilidade.

A ter em conta!

Não deve, de maneira nenhuma, tentar emagrecer sob pressão, nem sob
ameaças. Nas consultas de endocrinologia é normal ouvir-se, «ajude-me
senhor doutor, se não emagrecer, o meu companheiro deixa-me». Faça-o por
si mesma.

Estratégia 6: Aprenda a comer

O erro

Comer mal. Muitas pessoas ganham peso porque não comem como devem. Adquiriram uma série de hábitos nocivos que engordam, e ignoram-nos ao ponto de não perceber que estão a prejudicar a linha. Evite os jantares copiosos antes de dormir e ingira os hidratos de carbono até meio do dia.

A solução

Evite produtos demasiado ricos em calorias consideradas vazias (que mal contêm nutrientes): tiras de milho frito, gomas, pipocas ou outro tipo de guloseimas. E, evidentemente, corte no álcool .Escolha alimentos mais saciantes, ricos em fibra e hidratos de carbono como fruta da época, verduras, legumes, pão integral...

A ter em conta!

Concentre-se na comida. Um estudo recente realizado nos Estados Unidos revela que o consumo total de alimentos numa refeição quase duplica se, ao mesmo tempo, estiver a ver televisão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.