As urgências de Obstetrícia do Hospital Dr. José Maria Grande, integrado na Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) estiveram encerradas desde as 05:00 de quarta-feira até às 08:00 de hoje, período em que só dispôs de um obstetra naquele serviço.

O porta-voz da ULSNA, Ilídio Pinto Cardoso, indicou hoje à agência Lusa que, durante estas 51 horas, não foi necessário proceder à transferência de qualquer grávida para Évora.

Neste período, foram atendidas sete grávidas no serviço de obstetrícia do hospital de Portalegre, que esteve a funcionar, apesar do fecho das urgências, segundo a mesma fonte.

“As grávidas vieram e entraram pela Urgência geral e foram diretas para o serviço de Obstetrícia, onde foram vistas pela médica obstetra”, tendo realizado exames, sem se registarem problemas, disse.

O hospital de Portalegre conta habitualmente com um total de três obstetras e efetua, em média, cerca de 600 partos por ano.

Na terça-feira, após ter sido dado a conhecer que o serviço de Urgência iria estar encerrado, Ilídio Pinto Cardoso explicou que as grávidas que se dirigissem aos hospitais de Portalegre e Elvas e ao Serviço de Urgência Básico (SUB) de Ponte de Sor seriam encaminhadas para o Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) ou para a unidade hospitalar mais próxima.

Nos últimos dias sucederam-se encerramentos das urgências de ginecologia e obstetrícia um pouco por todo o país, por dificuldades em assegurar escalas.

Na segunda-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou um “plano de contingência” até setembro para fazer face ao problema que se vive no setor.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.