Brad Pitt revelou numa entrevista à GQ que sofre de prosopagnosia, um distúrbio neurológico raro e muitas vezes descrito como "cegueira facial" ou a incapacidade de memorizar rostos.

"A cegueira facial geralmente afeta as pessoas desde o nascimento e é um problema que uma pessoa tem durante a maior parte ou da sua vida. Pode ter um impacto severo na vida cotidiana", explica a página do Serviço Nacional de Saúde inglês.

Muitas pessoas com prosopagnosia não são capazes de reconhecer familiares, parceiros ou amigos. "Podem ter de lidar com estratégias alternativas para reconhecer as pessoas, como a maneira como andam ou o penteado, a voz ou as roupas", acrescenta.

A prosopagnosia pode levar o ser humano a evitar a interação social e a desenvolver transtornos de ansiedade social, um medo esmagador de situações sociais. "Estas pessoas também podem ter dificuldade em formar relacionamentos ou enfrentar problemas com a sua carreira. Sentimentos de depressão são comuns", descreve.

O que causa a prosopagnosia?

Existem 2 tipos de prosopagnosia:

Prosopagnosia de desenvolvimento – na qual uma pessoa tem prosopagnosia sem ter danos cerebrais;

Prosopagnosia adquirida – na qual uma pessoa desenvolve prosopagnosia após um dano cerebral, como um acidente vascular cerebral ou outra lesão.

Pensava-se que a maioria dos casos de prosopagnosia ocorria após uma lesão cerebral (prosopagnosia adquirida). Mas estudos recentes descobriram que a prosopagnosia sem ter prosopagnosia do desenvolvimento é mais comum, relata a referida página.

Prosopagnosia de desenvolvimento

Vários estudos indicam que 1 em cada 50 pessoas pode ter prosopagnosia de desenvolvimento.

A maioria das pessoas com prosopagnosia de desenvolvimento não consegue desenvolver a capacidade de reconhecer rostos.

Alguém com esta condição pode nem se perceber que tem este problema.

A prosopagnosia de desenvolvimento pode ter um componente genético e ocorrer em famílias.

Muitas pessoas com a condição relataram ter pelo menos um parente de primeiro grau, como um pai ou irmão, que também tem problemas para reconhecer rostos.

Prosopagnosia adquirida

A prosopagnosia adquirida é rara. Quando alguém adquire prosopagnosia após uma lesão cerebral, percebe rapidamente que perdeu a capacidade de reconhecer as pessoas que conhece.

Mas se a prosopagnosia ocorrer após danos cerebrais na primeira infância, antes que a criança tenha desenvolvido totalmente a capacidade de reconhecer rostos, ela pode crescer sem se aperceber de que não é capaz de reconhecer rostos da mesma forma que os seus pares.

A prosopagnosia não está relacionada com problemas de memória, perda de visão ou dificuldades de aprendizagem, mas às vezes está associada a outros distúrbios do desenvolvimento, como transtorno do espectro do autismo, síndrome de Turner e síndrome de Williams.

Como se trata?

Não há um tratamento específico para a prosopagnosia, mas os cientistas continuam a investigar o que causa a condição, bem como formas de diminuir o seu impacto.

Acredita-se que estratégias compensatórias que ajudam no reconhecimento da pessoa, ou técnicas que tentam restaurar os mecanismos normais de processamento de rosto, podem funcionar para algumas pessoas com prosopagnosia adquirida ou de desenvolvimento.

A idade de uma pessoa quando o seu cérebro foi danificado (no caso de prosopagnosia adquirida), o tipo e a gravidade da lesão cerebral e o momento do tratamento são fatores importantes na eficácia de um programa de reabilitação.

Veja ainda: 22 doenças muito estranhas

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.