60.000 casos, 1.355 mortos

A China anunciou mais 15.000 novas infeções - um recorde -, depois de expandir os critérios de contaminação. Agora, uma radiografia do tórax é suficiente para confirmar casos suspeitos.

Esses novos números elevam o balanço na China para quase 60.000 casos confirmados e pelo menos 1.355 mortes.

6.000 casais dão o nó em cerimónia coletiva. Apesar do coronavírus, há que prosseguir com o casório
6.000 casais dão o nó em cerimónia coletiva. Apesar do coronavírus, há que prosseguir com o casório
Ver artigo

Mais demissões

Sob forte pressão da opinião pública, os dois líderes do Partido Comunista Chinês (PCC) na província de Hubei (centro), berço da epidemia, e Wuhan, sua capital, foram demitidos. A última demissão aconteceu esta quinta-feira.

Primeira morte no Japão

Uma mulher de 80 anos tornou-se a primeira pessoa com o novo coronavírus a morrer no Japão, informou esta quinta-feira o ministro da Saúde, Katsunobu Kato, alertando que não é claro se o vírus foi a causa da morte.

"A relação entre o novo coronavírus e a morte da pessoa ainda não é clara", afirmou Kato, acrescentando que "esta é a primeira morte de uma pessoa que testou positivo" para o COVID-19.

Cidade vietnamita em quarentena

No Vietname, uma localidade de 10.000 habitantes, Son Loi, localizada a cerca de 30 quilómetros de Hanói, foi colocada em quarentena por 20 dias após a descoberta de seis casos de "COVID-19".

Cruzeiro americano autorizado no Camboja

Um navio de cruzeiro americano com 1.455 turistas poderá finalmente desembarcar no Camboja, depois de ter vagueado no mar por mais de dez dias.

O navio, que faria o trajeto Hong Kong-Japão, foi proibido de atracar no arquipélago japonês por medo da epidemia. Também foi rejeitado em Taiwan, Filipinas, na ilha americana de Guam e Tailândia.

Outro transatlântico, o "Diamond Princess", ainda está em quarentena na costa do Japão, com 218 pessoas contaminadas a bordo, de um total de 3.711 passageiros e tripulantes.

Estes são todos os países com casos confirmados de coronavírus
Estes são todos os países com casos confirmados de coronavírus
Ver artigo

Eventos mundiais adiados ou cancelados

Após uma onda de desistências de grandes grupos, a feira mundial de telefonia móvel de Barcelona foi cancelada, apesar do pedido das autoridades espanholas de não ceder à "epidemia do medo".

O medo do coronavírus continua a agitar o calendário desportivo: os torneios de râguebi de Hong Kong e Singapura, agendados para abril, foram adiados para outubro.

Em Tóquio, o presidente do comité organizador dos Jogos Olímpicos, Yoshiro Mori, reafirmou que não planeia "adiar ou cancelar os Jogos", previstos para o final de julho, criticando "rumores irresponsáveis".

O Grande Prémio de Fórmula 1 da China foi adiado.

Procura de petróleo diminui

Como resultado da epidemia, a procura por petróleo deve cair no primeiro trimestre pela primeira vez em dez anos, de acordo com a Agência Internacional de Energia, que destaca uma "desaceleração significativa" no consumo de petróleo e, em geral, da economia na China.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.