Cerca de 1.800 colmeias destinadas à produção de mel nos departamentos do norte de Salto e Paysandú ficaram destruídas devido ao químico tóxico que envenenou milhões de abelhas, segundo um relatório apresentado esta quarta-feira pelo Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca.

"A causa da mortalidade foi o fipronil", explicou Federico Montes, responsável pelo controlo de químicos no ministério. "Não podemos concluir de onde veio a fonte de contaminação" que foi encontrada nos animais mortos no fim de agosto.

Proibido no Uruguai

O fipronil foi proibido no Uruguai na agricultura. No entanto, a sua utilização é permitida no campo veterinário para combater pulgas, carrapatos e ácaros. Na União Europeia, o seu uso está proibido em animais destinado à cadeia alimentar.

Veja ainda: O mel está em extinção e não é o único. 10 alimentos que podem desaparecer

O químico, de acordo com as normas uruguaias e europeias, é tóxico para o ser humano, muito tóxico para aves e peixes e altamente tóxico para as abelhas.

Em julho, eclodiu na Europa o escândalo dos ovos contaminados com esta substância.

A Bélgica foi o primeiro país a alertar, a 20 de julho, a agência de segurança alimentar do bloco para a presença do produto em ovos. Portugal foi dos poucos estados-membros a escapar à lista de países afetados.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.