O diretor da HRW, Kenneth Roth, também criticou a virtual quarentena de várias cidades do país para conter o vírus e considerou a medida "radical".

"Há graves problemas na resposta da China que pioraram a epidemia", disse Roth à imprensa em Genebra. O responsável reconheceu, no entanto, que a China atuou corretamente ao partilhar rapidamente a sequência de ADN do vírus.

Roth fez referência em especial ao que considera "supressão das notícias na imprensa sobre o vírus na China nos dias iniciais da epidemia, assim como os esforços posteriores de censurar as críticas à sua ação.

"Não cabe o sigilo na luta contra a epidemia", disse Roth, que foi impedido no mês passado de entrar em Hong Kong para apresentar um relatório da HRW que acusa a China de fazer "o ataque mais intenso contra o sistema global de defesa dos direitos humanos".

O número de vítimas da epidemia causada pelo novo coronavírus na China subiu esta quinta-feira para 563 mortos. O país registou mais de 28.000 casos de pessoas infetadas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.