A 21 de Setembro assinalou-se o Dia Mundial da Gratidão. Sugiro que pare tudo o que está a fazer por 5 minutos e pense sobre todas as coisas pelas quais está agradecido, pense em todas as pessoas a quem está grato e sobre o que gostava de lhes dizer. Mas pense de forma pormenorizada. Faça uma lista diária sobre aquilo que o faz sentir gratidão. Escreva cartas de gratidão, simplesmente para guardar ou até mesmo para entregar a quem acha que as merece. Valorize o que tem de bom na sua vida e foque-se nessas coisas positivas. Transforme estes pequenos gestos num hábito e cultive diariamente a gratidão. Hábito esse que, ao que parece, a evidência científica tem considerado trazer benefícios ao nível do cérebro e até mesmo existir uma correlação com a Felicidade.

Pois é, por exemplo Martim Seligman, considerado pai da Psicologia Positiva concluiu através dos estudos que realizou nesta área que pessoas que sabem agradecer e valorizar aquilo que têm são mais felizes e estabelecem relacionamentos mais sólidos e duradouros. E isto tem uma explicação científica: sempre que somos gratos por algum acontecimento do dia-a-dia, gesto ou pessoa que nos rodeia, o nosso cérebro reage, aumentando o nível de dopamina, neurotransmissor responsável, entre outras funções, pela sensação de bem-estar, humor e prazer. Logo, consequentemente, quanto maior a libertação de dopamina, mais satisfeitos e felizes nos sentimos. Basta refletir sobre como se sentiu quando pensou nas coisas pelas quais está grato.

Mas poderia citar outros estudos de Emmons e McCullough que corroboram estes benefícios da gratidão. Resumindo, o que a evidência científica tem realçado é que ser grato fortalece os vínculos afetivos, melhora as relações interpessoais, promove o bem-estar, aumenta a resiliência, reduz o stress e ajuda a prevenir a depressão.

A gratidão é, efetivamente, uma forma de apreciar o que já se tem, em vez de alimentar a insatisfação permanente e as constantes lamentações com as coisas negativas que acontecem, que levam as pessoas à procura de algo diferente, na esperança de se tornarem mais felizes. Mas essa procura nem sempre é bem sucedida e/ou gratificante, porque, provavelmente já temos dentro de nós o essencial. Muitas vezes, mudando de atitude perante os acontecimentos, cultivando a gratidão, podemo-nos sentir preenchidos com o que já temos, com o que já somos, com quem já nos rodeia. Cultivar a gratidão é cultivar a paz.

E esta é uma das propostas da Psicologia Positiva, uma das ferramentas que temos ao nosso dispor para nos ajudar na redução e gestão do stress provocado pelas situações difíceis, ajudando também a promover algumas características que podemos desenvolver e interiorizar como estratégias de coping para resolvermos os nossos problemas.

Desenvolver uma atitude de gratidão em relação às pessoas, coisas e acontecimentos de vida, vai permitir fortalecer a resiliência e valorizarmos o que temos, mesmo que seja pouco, em detrimento de nos entristecermos com o que não podemos ter. Leva-nos também a dar importância a valores, por vezes esquecidos na correria do dia-a-dia, a pequenos gestos, à amizade, à solidariedade e ao espírito de interajuda, em detrimento de outros valores materiais. A gratidão é um sentimento que permite extrair a máxima satisfação das atuais circunstâncias de vida, e acima de tudo, admirar os acontecimentos quotidianos.

Sabemos que, as pessoas nas quais predominam estes sentimentos são mais felizes, têm mais esperança no futuro, compreendem e ajudam mais os outros, perdoam com mais facilidade, têm mais amigos e experimentam mais emoções positivas, como o interesse e a alegria.

Assim sendo, é importante desenvolver a gratidão diariamente. Como o pode fazer?

  1. Identifique alguém a quem está grato (amigo, pais, marido/mulher, filhos, vizinhos, etc.), alguém que considere ser importante na sua vida, que o ajudou ou ajuda e escreva a tal Carta de Gratidão. Nessa carta deve dizer o quanto essa pessoa é importante para si, explicar o porquê, o que fez e qual o impacto disso. Deve mostrar quanto se encontra grato por essa pessoa estar ou ter estado presente na sua vida.
  2. Crie um mural da gratidão (ou um diário, ou registe numa aplicação de telemóvel que também já existe para esse efeito), onde vai colocando, diariamente, tudo pelo qual está grato (pequenos gestos, pequenas coisas simples do dia-a-dia).
  3. Elogie mais. Faça críticas construtivas e apreciativas. Olhe para o que já funciona bem e não aponte só os erros ou o que ainda precisa de melhorar.
  4. Alinhe no “jogo dos óculos cor-de-rosa”: é simples, pretende encontrar em cada tristeza um pouquinho de alegria, ou em cada momento difícil, algo menos negativo.

E lembre-se que a gratidão é verdadeiramente um sentimento poderoso, que nos faz valorizar a vida e ajuda-nos a experienciar emoções mais positivas, por isso, não se esqueça de exercitar a gratidão, todos os dias da sua existência! Obrigada.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.