“Os serviços competentes vão combater rigorosamente os atos de aumento injusto de preços e de açambarcamento, de modo a proteger os direitos e interesses dos residentes”, avisou o Governo de Macau, em comunicado divulgado na quarta-feira à noite.

O Governo do território, onde já foram verificados sete casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus chinês, assegurou ainda que tem “fiscalizado os preços de produtos, avisando os operadores que não podem aumentar injustamente os preços face à escassez temporária de artigos de prevenção de epidemia”.

Na terça-feira, a Direção dos Serviços de Economia e o Conselho dos Consumidores reuniu-se com grossistas, fornecedores e responsáveis de supermercados. Nesta reunião concluiu-se que “a oferta é bastante suficiente e estável”.

Por essa razão, acrescenta-se na mesma nota, as autoridades “apelam mais uma vez aos residentes para não se preocuparem mais, nem comprarem em excesso os alimentos”.

“A oferta em geral de produtos alimentares e artigos de uso doméstico no mercado é suficiente com preços estáveis e a situação de compra tende a ser mais moderada e normal”, reforçou o Governo de Macau.

Alguns produtos que têm escasseado em alguns pontos de venda, como o arroz, “vão ser gradualmente colocadas nas prateleiras depois do regresso dos fornecedores ao local de trabalho”.

Muitas das empresas em Macau encontram-se encerradas por causa do Ano Novo Lunar.

“A quantidade de arroz armazenado pode ser consumido por toda a população de Macau durante meio mês e a importação das mercadorias será retomada no início de fevereiro”, garantiram a autoridades.

A China elevou para 170 mortos e mais de 7.700 infetados o balanço de vítimas do novo coronavírus detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

O Governo de Macau anunciou o prolongamento até sexta-feira dos feriados do ano novo chinês para a função pública, medida que foi adotada por várias empresas privadas, para diminuir o risco de contágio do novo coronavírus chinês, depois de ter sido registado no território o sétimo caso importado de infeção.

A reabertura das escolas, e de espaços culturais e desportivos que já estavam encerradas desde a semana passada, foi adiada por tempo indeterminado.

Duas das ligações marítimas entre Macau e Hong Kong estão suspensas a partir de hoje e as restantes vão sofrer uma redução no número de viagens, também por tempo indeterminado.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.