Numa "mensagem aos portugueses" enviada à Lusa, Duarte Pio considerou que o Governo tem tomado decisões "ponderadas", "mas sempre alguns passos atrás da sociedade".

"Temos vindo a assistir a sucessivos apelos da população aos governantes para tomarem medidas mais rapidamente. Primeiro foi o encerramento das escolas, agora o pedido de declaração do estado de emergência e de iniciativas para apoiar as empresas e a estrutura económica", afirmou. 

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

Por esse motivo, considerou "difícil compreender" a convocação do Conselho de Estado para quarta-feira - só depois dessa reunião o Presidente da República anunciará a sua decisão sobre o estado de emergência -, já que os estudos indicam que "quanto mais rapidamente e de forma radical" for a atuação do Governo, mais rápido pode ser o controlo da pandemia e o retomar da normalidade.

"Reitero o apelo ao Governo para a declaração do estado de emergência nacional que permita declarar quarentena obrigatória a toda a população, salvo serviços essenciais assim como a recuperação do controlo das fronteiras. São momentos extraordinários que requerem medidas de exceção máxima", defendeu.

O pretendente ao trono português manifestou também a sua preocupação com a situação das empresas nacionais, que precisam de "uma resposta rápida", salientando que a partir de hoje o IVA das empresas estará a pagamento e até à próxima sexta-feira as contribuições sociais.

"O Estado deverá assumir responsabilidades perante as empresas portuguesas, aliviando a sua tesouraria, permitindo pagamentos mais urgentes como são ordenados e fornecedores", apontou.

Duarte Pio elogia o "comportamento notável" da maioria dos portugueses, bem como a dedicação dos profissionais de saúde, forças de segurança civis e militares, bombeiros, farmacêuticos, sacerdotes e religiosas.

"O comportamento exemplar dos portugueses exige uma maior rapidez por parte dos seus governantes", apelou, terminando com "uma palavra de confiança no sentido de responsabilidade e de espírito de comunidade de todos os portugueses".

A mensagem de Duarte Pio foi enviada à Lusa ainda antes de ser conhecido que Portugal registou a primeira morte de uma pessoa infetada com o novo coronavírus, um homem de 80 anos, que tinha "várias patologias associadas" e estava internado há vários dias, no Hospital de Santa Maria, segundo anunciou a ministra da Saúde, Marta Temido.

Em Portugal, 331 pessoas foram infetadas até hoje com o vírus da pandemia Covid-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde.

Acompanhe aqui, ao minuto, todas as informações sobre o novo coronavírus em Portugal e no mundo.

Coronavírus: como funciona a sala de pressão negativa?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.