Segundo disse à agência Lusa a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, uma equipa do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge estará pelas 09:30 no Pulido Valente para fazer a recolha das amostras respiratórias aos 18 portugueses e duas brasileiras que vieram da China e que chegaram a Lisboa no dia 02 deste mês.

Graça Freitas adiantou que o resultado destas análises será conhecido “algumas horas depois”, durante a tarde.

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

As primeiras análises a estes cidadãos deram negativo ao novo coronavírus (que provoca a doença entretanto nomeada como Covid-19).

Desde o dia 02 de fevereiro, que os 20 cidadãos estão instalados no Hospital Pulido Valente (Centro Hospitalar de Lisboa Norte), num isolamento voluntário que tem essencialmente caráter preventivo.

No sábado, dia 15, o grupo completa 14 dias de quarentena, como disse ao SAPO Lifestyle um dos repatriados, Miguel Matos. Os 20 ciddão deverão estar livres do período de confinamento a partir de domingo.

O surto do novo coronavírus que surgiu na China teve como epicentro a cidade de Wuhan. A infeção já afetou mais de 60 mil pessoas e levou à morte de mais de 1.400. A China anunciou uma mudança de critérios na classificação de infetados pelo novo coronavírus, não sendo obrigatório uma análise laboratorial positiva. Segundo a diretora-geral da Saúde, esta alteração é “normal e legítima”, uma vez que passa a basear-se em critérios clínicos e em exames radiológicos que confirmem uma pneumonia.

A alteração deste critério permitiu, segundo Graça Freitas, incluir nos infetados, de modo retrospetivo, pessoas doentes e que não chegaram a fazer análise laboratorial. Por outro lado, pode melhorar a capacidade de tratamento, uma vez que os doentes passam de imediato a receber tratamento, mesmo antes ou sem a confirmação laboratorial.

Veja em baixo o mapa interativo com os casos de coronavírus confirmados até agora

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Número de mortos continua a aumentar

A província de chinesa de Hubei, epicentro do novo coronavírus, designado Covid-19, reportou hoje 116 mortos e 4.823 novos infetados, um dia depois de uma alteração na metodologia da contagem ter resultado num aumento recorde dos números.

Segundo os dados da Comissão de Saúde de Hubei, o número total de mortos na província fixou-se em 1.426, enquanto o número de infetados ascendeu a 51.986.

O novo método de contagem, posto em prática a partir de quinta-feira, inclui “casos clinicamente diagnosticados”, mas que não foram ainda sujeitos a exame laboratorial e, portanto, ausentes até agora das estatísticas. No primeiro dia após a entrada em vigor do novo método, a China reportou aumentos recorde no número de mortos e infetados.

Os atrasos no diagnóstico do vírus podem ser significativos, já que muitos pacientes aguardam até uma semana pelos resultados dos exames em laboratório, que são enviados para Pequim. Permitir que os médicos diagnostiquem diretamente os pacientes permitirá que mais pessoas recebam tratamento, inclusivamente em vários hospitais construídos de raiz em Wuhan, capital de Hubei, especificamente para o tratamento de infetados com o COVID-19.

6.000 casais dão o nó em cerimónia coletiva. Apesar do coronavírus, há que prosseguir com o casório
6.000 casais dão o nó em cerimónia coletiva. Apesar do coronavírus, há que prosseguir com o casório
Ver artigo

Em toda a China continental, já são 64.600 pessoas contaminadas pelo vírus, que surgiu em dezembro em Wuhan, capital da província de Hubei.

Ontem, as mesmas autoridades anunciaram 242 falecimentos e mais de 14.800 casos de contágio, após modificarem os critérios de contagem e incluir pacientes diagnosticados apenas com a ajuda de radiografias. Com a adoção dos novos critérios de contagem de casos, os números subiram na quinta-feira e, apesar de permanecerem altos, houve uma pequena queda na sexta-feira em relação ao dia anterior.

O novo método de contagem não exige mais um exame laboratorial que confirme a presença do coronavírus como um resultado positivo, e agora uma radiografia pulmonar é suficiente.

A modificação permite às autoridades de saúde mobilizar recursos mais rapidamente para oferecer tratamento às pessoas doentes.

O que é uma sala de pressão negativa e para que serve?

Veja a expansão do coronavírus em imagens

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.