Em mais de uma centena de municípios basta menos de uma dezenas de novos casos de COVID-19 nos últimos 14 dias para que se ultrapasse o limiar de risco definido pelo Governo, revela hoje a TSF, travando assim o processo de desconfinamento.

"Os pequenos concelhos do Interior com muito baixa população muito facilmente ficam no vermelho. Basta ter uma família infetada", diz Mário Jorge Santos, coordenador de Saúde Pública do Baixo Alentejo, à referida rádio.

No Baixo Alentejo, Beja e Moura estão em risco de não desconfinarem daqui a duas semanas por estarem acima do limiar de risco anunciado por António Costa, ou seja, dos 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Mas em Barrancos, por exemplo, bastam bastam dois infetados para se passar a linha vermelha, uma vez que esta localidade conta apenas com 1.634 habitantes.

"Foram indicadores pensados para dimensões muito superiores de população e acabam por ser injustos para os pequenos concelhos do Interior que são, também, aqueles que têm problemas de isolamento e de falta de serviços, onde a população mais precisa de transitar entre concelhos", explica o médico de Saúde Pública da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) citado pela TSF.

Vinte seis concelhos estão acima do limiar de risco de incidência da COVID-19, podendo não avançar no desconfinamento caso a situação se mantenha na próxima avaliação do Governo, segundo o último boletim epidemiológico divulgado. Estes concelhos registam um acumulado, nos últimos 14 dias, de mais de 120 casos por cada 100 mil habitantes, sete dos quais estão mesmo acima dos 240 novos casos por 100 mil habitantes.

Veja a lista de casos por concelho

Machico, na região Autónoma da Madeira, é o concelho do país com maior incidência registando 500 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, classificando-se num risco muito elevado, ou seja, com uma incidência entre 480 e 959,9 casos por 100 mil habitantes.

Em 11 de março, na apresentação do plano de desconfinamento, o primeiro-ministro, António Costa, avisou que as medidas da reabertura serão revistas sempre que Portugal ultrapasse os “120 novos casos por dia por 100 mil habitantes a 14 dias” ou sempre que o Rt - o número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado pelo vírus - ultrapasse 1.

Segundo o boletim epidemiológico da DGS, o índice de transmissibilidade (Rt) do novo coronavírus em Portugal subiu ontem para 1 no continente, enquanto a incidência desceu para 60,9 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias. Em 01 de abril, o primeiro-ministro disse que existiam 19 concelhos do continente que estavam acima do limiar de risco, ou seja, acima dos 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

António Costa salientou que os especialistas ouvidos pelo Governo propuseram que, "se em duas avaliações sucessivas, os mesmos concelhos estiverem acima do limiar de risco, nesses concelhos não devem avançar as medidas de desconfinamento".

O boletim  revela que estão neste patamar acima dos 120 por 100 mil habitantes os concelhos de Alandroal (200), Albufeira (161), Lagoa (141), Machico (500), Portimão (308), Ribeira Brava (225), Ribeira de Pena (283), Rio Maior (334), Santa Cruz (183), Beja (134), Borba (134), Câmara de Lobos (154), Carregal do Sal (302), Marinha Grande (203), Moura (474). Soure (123), Cinfães (175), Figueira da Foz (121), Figueiró dos Vinhos (180), Funchal (137), Odemira (316), Penela (167), Ponta Delgada (178), Ponta do Sol (151), Vila do Bispo (213) e Vimioso (174).

Destes concelhos sete têm valores acima dos 240 casos por 100 mil habitantes.

Com zero casos nos últimos 14 dias são referidos 54 concelhos: Alfandega da Fé, Alijó, Almeida, Alvito, Gavião, Góis, Horta, Idanha-a-Nova, Lajes das Flores, Manteigas, Porto Santo, Povoação, Sabrosa, Santa Cruz da Graciosa, Santa Cruz das Flores, S.Marta de Penaguião, S.Brás de Alportel, S.João da Pesqueira, Arronches, Avis, Barrancos, Calheta (Açores), Carrazeda de Anciães, Castanheira de Pera, Marvão, Meda, Mértola, Miranda do Douro, Monforte, Mora, Murça, Nelas, S. Roque do Pico, Sousel, Tarouca, Terras de Bouro, Tondela, Constância, Corvo, Crato, Ferreira do Zêzere, Fronteira, Oleiros, Ourique, Penamacor, Penedono, Velas, Vila da Praia da Vitória, Vila do Porto, Vila Nova de Paiva, Vila Nova de Poiares, Vila Velha de Ródão e Vila Viçosa.

A pandemia de COVID-19 provocou, pelo menos, 2.853.908 mortos no mundo, resultantes de mais de 131,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.879 pessoas dos 823.335 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Vídeo - Como é que o sistema imunitário ataca bactérias, vírus e parasitas?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.