1. O ano do regresso da Peste Negra: A epidemia de peste negra no Madagáscar gerou uma onda de pânico entre a população da ilha, especialmente na capital. De acordo com o último balanço do Ministério da Saúde daquele país, foram confirmados 387 casos no território da ilha e 45 vítimas mortais. Mas segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a peste reaparece todos os anos em Madagáscar, entre setembro e abril.
  2. Surto de sarampo, o alerta da vacinação: Os surtos recentes de sarampo na Europa causaram 35 mortos nos últimos 12 meses, entre os quais uma morte em Portugal. Para Zsuzsanna Jakab, diretora regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a Europa, "toda a morte causada por esta doença que se pode evitar com uma vacina é uma tragédia inaceitável".
  3. Tuberculose, uma infeção assassina: Este ano ficámos a saber que a tuberculose mata a cada 18 segundos. Segundo o relatório da Médicos Sem Fronteiras e Stop Tuberculosis, a doença causou 1,8 milhões de óbitos num só ano em todo o mundo.
  4. Mais fome: O número de pessoas assistidas por instituições que esteve "uma vez ou outra" sem comer durante um dia inteiro aumentou de forma significativa, passando de 18% para 26%, revela um estudo da Universidade Católica publicado em novembro. O estudo também analisou a situação das crianças portuguesas, que se encontram "entre as mais vulneráveis da União Europeia".
  5. Chemsex, uma moda global?: Chemsex é a contração do inglês "chemical sex", que significa sexo químico. Trata-se de uma prática sexual que pode provocar danos físicos e emocionais. Nasceu na Holanda e leva pessoas a tomar drogas, como anfetaminas, para fazer sexo durante períodos alargados de tempo. Depois de Barcelona, também Madrid incorporou o chemsex na lista de problemas de saúde pública. Em Portugal, o antigo diretor-geral da Saúde chegou a admitir que o chemsex poderia estar na origem do surto de hepatite A que afetou sobretudo homens que têm sexo com homens. Essa hipótese foi, entretanto, descartada por outros especialistas.
  6. Hepatite A, um surto importado: Portugal teve pelo menos 505 casos de hepatite A confirmados desde o início do ano, segundo dados do final de outubro da Direção-geral da Saúde (DGS). Do total de casos, 85% eram homens, sendo que mais de metade dos contágios aconteceram em contactos sexuais. A maioria dos casos registou-se na zona de Lisboa e Vale do Tejo. Este surto surge no contexto de um surto a decorrer na Europa, com início em 2016. A quase totalidade dos casos foi identificada em homens que fazem sexo com homens. Apesar de alertada meses antes por médicos e especialistas, a DGS demorou tempo a reagir e a lançar campanhas de prevenção.
  7. Compromisso por uma cobertura sanitária global: O novo líder da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, tem uma clara prioridade: alcançar uma cobertura de saúde universal. Em dezembro, a comunidade internacional assinou um compromisso em Tóquio para chegar a esse objetivo até 2030, embora a estrada não seja fácil: existem 400 milhões de pessoas sem acesso a pelo menos um dos serviços essenciais de saúde. "É um escândalo que uma família tenha de escolher entre comprar alimentos ou medicamentos. É um escândalo para uma mãe perder um filho porque não possui assistência básica próxima", disse o responsável daquela agência das Nações Unidas.
  8. Cólera no Iémen, palco de uma "guerra esquecida": A cólera já matou 2 mil pessoas desde início do surto, em abril, no Iémen. A interrupção no fornecimento de água e condições precárias de saúde e higiene impulsionaram esta e outras infeções naquele país que enfrenta uma guerra civil sangrenta. Várias organizações alertam que o país está a viver uma "guerra esquecida" pela comunidade internacional.
  9. Mais casos de VIH/Sida na Europa: Segundo os registos mais recentes, Portugal registou 1030 novos casos de infeção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) no último ano, segundo um relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). No entanto, no velho continente, no ano passado, foram diagnosticadas mais de 160 mil pessoas com o VIH. É o maior número de novas infeções alguma vez registado em apenas um ano na Europa, desde o início da década de 1980.
  10. Primeiro coração artificial em Portugal. Para terminar, algo muito positivo. O primeiro implante de coração artificial em Portugal aconteceu em março no Hospital de Santa Marta, em Lisboa. O dispositivo foi implantado com sucesso - pela equipa do cirurgião José Fragata, pioneiro em várias intervenções na área cardiotorácica em Portugal - a um doente de 64 anos que sofria de insuficiência cardíaca e não podia receber um coração transplantado devido aos danos que a medicação causaria nos rins.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.