“La grande cuisine arabe du moyen âge”, livro de história e receitas da autoria da antropóloga Lilia Zaouali, é o ponto de partida do novo brunch que André Fernandes estreia a 5 de dezembro no Attla. Homenagem ao al-Andalus (designação atribuída a partir do século VIII ao território na Península Ibérica sob domínio árabe) a refeição conta com grande influência árabe e medieval.

Frutos secos, folha de cedrat, sêmola, couscous ou misturas de especiarias feitas no Attla são apenas alguns dos ingredientes que compõe um brunch com uma forte matriz vegetariana - na época os vegetais tinham um grande destaque na gastronomia - com os clientes a serem convidados a comer com as mãos se assim se sentirem confortáveis.

As bebidas e o pão são também confecionados no Attla, a partir do imaginário do livro de Zaouali.

O tema do brunch irá mudar com regularidade mensal: em janeiro é dedicado à cozinha de D. Afonso I, o Conquistador e inclui na ementa Puré de beringela e leite fermentado, Escabeche de peixe, Borrego e amêndoas, Couscous, Ujja branca (omelete de claras), Mets de queijo (queijo derretido).

O menu tem o valor de 30,00 euros por pessoa (com bebidas) e é servido apenas ao fim de semana entre as 9h30 e as 12h30 mediante reserva prévia através do email contact@attlarestaurant.com ou do número de telefone 211 510 555.

As bebidas fora do menu são pagas à parte.

Restaurante Attla lança brunch medieval e inicia residências gastronómicas
Puré de beringela e leite fermentado. créditos: Paulo Barata/Amuse Bouche

Residências gastronómicas

“Friends will be friends…Especially if they cook lunch with us during a pandemic”. É este o mote das residências com o selo da iniciativa “Sangue na Guelra” que o restaurante Attla recebe a partir de segunda-feira, 7 de dezembro, e se prolonga até fevereiro.

Aos almoços dos dias úteis, André Fernandes recebe na sua cozinha um convidado (ou uma dupla) que muda todas as semanas. Pedro Oliveira, jovem sous chef do Attla é o nome escolhido para a primeira semana, de 7 a 11 de dezembro.

“Vamos ter cozinheiros de várias idades, alguns muitos jovens, sem restaurante próprio, alguns estão parados, outros estão em pop ups ou a fazer uns biscates. Esta ação visa promover talentos que precisam de visibilidade e de ajuda para obter algum incoming financeiro”, explica o produtor do “Sangue na Guelra”, Paulo Barata, salientando que as receitas serão divididas na totalidade entre o Attla e o chefe de cozinha convidado.

attla
Chefe de cozinha André Fernandes. créditos: Paulo Barata/Amuse Bouche

O menu, servido nos dias de semana entre as 12h00 e as 14h30, inclui entrada, prato principal e sobremesa e custa 25,00 euros por pessoa, com oferta de uma cerveja Super Bock 1927 (estará também disponível a carta de vinhos naturais, pagos à parte).

Os chefes irão confecionar vários tipos de cozinha com o máximo aproveitamento do produto. Em todas as semanas, haverá também opção de menu vegetariano.

A Pedro Oliveira sucederá o chefo de cozinha Daniel Censi na semana de 14 a 18 de dezembro. Os “The Rescue Lunch Series” fazem depois uma pausa por duas semanas, retomando de 4 a 8 de janeiro com Artur Gomes.

Ainda por definir, a programação de janeiro e fevereiro inclui nomes como Manuel Paiva, Gustavo Delgado e João Augusto.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.