A caspa é um estado descamativo causado por uma reprodução anormalmente acelerada das células do couro cabeludo. O aparecimento das escamas é o sinal mais óbvio e deve-se ao facto das células se desprenderem agrupadas em vez de isoladas por não terem tempo de secar. Sente-se também comichão em toda a cabeça. As causas da caspa ou pitiriasis desconhecem-se. No entanto, está associada, como responsável ou agravante, a um incremento desproporcionado de malassezia furfur ou pytirosporum ovale.

Este fungo, presente na flora microbiana do couro cabeludo, raramente aparece nas crianças e nos idosos e é mais frequente nos homens do que nas mulheres, supondo-se, por este motivo, que por detrás dela exista um fator hormonal ou, pelo menos, uma predisposição para a ter. O stresse também parece desencadear ou agravar alguns casos.

Como combater a caspa

Estes são os quatro gestos a seguir para a evitar:

1. Distinguir o tipo de caspa

A caspa simples é do tipo seco e forma escamas finas que caem facilmente sobre os ombros. Quando o couro cabeludo é oleoso, as partículas tendem a permanecer pegadas à pele formando placas. Neste caso, é importante utilizar produtos específicos para combater a caspa, mas também o excesso de oleosidade, que pode trazer complicações, inclusivamente a queda de cabelo.

2. Regular a microflora

Comprovou-se que a população de malasezzia diminui mediante o uso de um champô anticaspa que inclua ativos antifúngicos e  anti-sépticos. Não aplique nenhum outro champô imediatamente depois, já que é necessário que os seus componentes fiquem depositados no couro cabeludo para prolongar a sua ação. O efeito pode reforçar-se com o uso de loções que podem ser aplicadas entre as lavagens.

3. Eliminar as células mortas

O seu excesso asfixia o couro cabeludo e irrita a epiderme. Por esta razão e para atenuar a presença das escamas inestéticas, os tratamentos anticaspa costumam incorporar substâncias queratolíticas que facilitam o seu despegamento do couro cabeludo. Nos cabeleireiros e centros especializados, é possível submeter-se a tratamentos de esfoliação do couro cabeludo, especialmente recomendados quando o problema passa por uma fase aguda.

4. Acalmar a comichão

A ação irritante da pele morta e os resíduos da malasezzia são responsáveis pela sensação de prurido que se agudiza quando a caspa é gordurosa. Por isso, é comum encontrar nos tratamentos para a caspa ingredientes de efeito calmante, para aliviar a irritação, assim como outros refrescantes, que tornam a sua utilização mais agradável.

Veja na página seguinte: 3 tecnologias que ajudam a combater a caspa

3 tecnologias que ajudam a combater a caspa:

1. Radiofrequência

Emissão de ondas electromagnéticas que fazem vibrar as moléculas de forma a gerar calor. Este origina uma vasodilatação que potencia o fluxo sanguíneo. Facilita também a ação de substâncias terapêuticas. Há equipamentos que melhoram os casos de caspa, queda, oleosidade e debilidade.

2. Laser

Os lasers de baixa frequência ou frios transmitem uma energia lumínica fácil de absorver por parte das células cutâneas. Estas transformam-na em calor, criando um efeito semelhante ao da radiofrequência. À semelhança desta última, os lasers são usados contra a calvície, excesso ou falta de oleosidade.

3. Ozonoterapia

O ozono é um gás com um grande poder estimulador do metabolismo. Melhora a microcirculação e tem um efeito antiradicalar, mas é sobretudo um antiséptico natural contra todo o tipo de de microrganismos. Para além de melhorar o estado do cabelo, permite limpar a fundo a pele e os folículos, o que o converte num aliado de quem tem um cabelo oleoso ou caspa.

Texto: Rita Caetano

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.