Os números da Associação Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS) não enganam. A cirurgia plástica para aumentar o mento, como também lhe chamam, é, desde o início da década, uma das grandes tendências da atualidade. De acordo com o último relatório daquele organismo, logo em 2011 os implantes do queixo aumentaram 71%. Na altura, este acréscimo ultrapassou a mamoplastia de aumento, o botox e a lipoaspiração juntos.

E não pense que esta é uma tendência exclusiva dos Estados Unidos da América, o mesmo acontece em Portugal. "Este tipo de intervenção é cada vez mais procurada. Faço mentoplastias quase todas as semanas», confirmou, em declarações à edição impressa da revista Ultimate Beauty, o cirurgião plástico Biscaia Fraga. O queixo naturalmente definido de Jennifer Aniston parece ser cobiçado por muitas mulheres.

Já no caso do sexo masculino, o queixo (também natural) de George Clooney salienta-se como modelo inspirador para uma mentoplastia. "Os queixos vincados são sempre associados a personalidades fortes, autoritárias, autoconfiantes e a pessoas em quem se pode confiar", refere o cirurgião plástico Biscaia Fraga. Em países do mundo como a Arábia Saudita, em 2017, a procura masculina desta cirurgia também foi grande.

A necessidade de rejuvenescer o rosto

A explicação para o desejo de aumentar o queixo que muitos evidenciam é simples e linear. "À medida que há uma evolução da idade cronológica, o rosto envelhece. Se o mento for projetado, rejuvenesce de imediato todo o rosto. No entanto, há também quem faça esta intervenção por razões reconstrutivas, isto é, por malformações congénitas do mento [queixo reduzido ou recuado]", explica Biscaia Fraga.

O cirurgião diz-nos ainda que, hoje em dia, é muito raro fazer um facelift onde não corrija o queixo. "Quando avançamos o mento, a pele fica com menos rugas e pregas acentuadas e isso reflete-se também no pescoço, melhorando os resultados da
intervenção", afirma o nosso entrevistado. Mas há mais justificações para o interesse crescente neste procedimento cirúrgico em Portugal e no estrangeiro.

A personalidade forte que muitos procuram

O famoso médico Mehmet Oz, em declarações aos media norte-americanos, defendeu que "é opinião geral que as pessoas com queixos proeminentes têm uma personalidade mais forte e são mais bem-sucedidas na sua profissão. Apenas menos de 10% dos diretores executivos das 500 melhores empresas têm queixos pequenos", sublinhou o antigo colaborador de Oprah Winfrey. A mesma opinião tem o português Biscaia Fraga.

"É tal e qual. Queixos vincados são sempre associados a personalidades fortes, autoritárias, autoconfiantes e a pessoas em quem se pode confiar", afirma ainda. Em países da Europa, como a Bélgica, onde se realizam anualmente cerca de 200.000 cirurgias plásticas, as mentoplastias são, a par da subida das sobrancelhas e do preenchimento das maçãs do rosto, as intervenções estéticas mais requeridas para a face.

A mentoplastia de avanço

Tal como nos explica o cirurgião plástico, a mentoplastia de avanço é uma cirurgia simples e tem tido uma grande evolução. "Inicialmente, o aumento e projeção do mento era feito apenas com próteses de silicone sólido. Atualmente, a maioria dos
procedimentos é feito com material biológico do próprio paciente ou com recurso a material sintético, como o ácido hialurónico", sublinha o especialista.

A técnica preferida de Biscaia Fraga é, no entanto, a correção com o próprio tecido adiposo da pessoa, que "melhora mesmo o estado da pele devido às células estaminais presentes nesse material autólogo", como sublinha. Na Tailândia, onde os preços das cirurgias estéticas são mais acessíveis do que na Europa, o queixo, as sobrancelhas e os seios eram, segundo números do início de 2018, as zonas mais intervencionadas.

Texto: Rita Caetano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.