É a motivação que nos faz ser capazes de criar uma autoestrada em direção ao nossos sonhos, que nos dá energia e o ‘friozinho’ na barriga de quem vibra pela vida e pelas suas conquistas.

No entanto, é muito comum ouvirmos quer adolescentes, quer adultos, retorquirem que não se sentem motivados, que a morosidade parece ter-se apoderado e que, daí, à conquista do que quer que seja, parece estar uma grande muralha.

Afinal de onde vem a desmotivação?

A desmotivação pode vir de diversos fatores mas, regra geral, há três elementos que podem ser determinantes na desmotivação, são eles:

- O medo de falhar

Temos muito receio de ir a jogo e não conseguir alcançar o objetivo; a simples ideia de antevermos uma potencial falha é automaticamente geradora de frustração e, por consequência, de desmotivação;

- A rotina

Temos a ideia que façamos o que fizermos parecemos permanecer sempre no mesmo lugar (não subimos na carreira, não tiramos melhores notas, por exemplo); essa sensação de que tudo permanece igual independentemente da nossa ação faz com que tenhamos tendência à morosidade e à desmotivação;

- Sentirmos que não temos, à nossa volta, pessoas motivadas para nós

Para arriscarmos e nos mantermos motivados, precisamos de nos sentir seguros e confiantes; muitas vezes a desmotivação vem a reboque da sensação que os outros não nos valorizam, não estão junto de nós, não gostam de nós; são as relações que nos prendem à vida e que, por isso mesmo, são essenciais às conquistas dos nossos objetivos e à nossa força de motivação.

Por tudo isto, se queremos combater a desmotivação em primeiro lugar, temos de perceber a sua origem. Um certo conhecimento da origem da desmotivação é, por si só, um elemento essencial para a compreendermos e a combatermos.

Em segundo lugar, há um conjunto de estratégias práticas que podemos adoptar:

- Definir objetivos e estabelecer metas

É importante definirmos objetivos para sabermos em que direção queremos ir, no entanto, a par com os objetivos, é essencial estabelecer pequenas meta alcançáveis com facilidade, assim, permanecemos conscientes de que o objetivo é possível de alcançar.

- Celebrar conquistas

A celebração permite-nos enviar uma mensagem de conquista ao nosso cérebro, que nos fará manter mais motivados, por isso, sempre que chegar a uma meta, celebre! Pode celebrar com um almoço especial, partilhando a conquista com alguém, mesmo que de forma simples, celebre sempre. E mantenha em mente tudo aquilo que já conquistou, pois será uma alavanca para o manter no caminho certo.

- Visualizar o sucesso

Os nossos pensamentos são altamente responsáveis pelas nossas ações. Se se visualizar, com frequência, a alcançar as metas e o objetivos, e até verbalizar em voz alta que é capaz de alcançar essas metas e objetivos, será mais fácil manter-se motivado para eles.

- Alinhar-se com os seus valores

Se queremos que a motivação seja forte, os objetivos a que nos propomos têm sempre de se alinhar com os nossos valores pessoais.

- Permitir-se a falhar

Na conquista de qualquer objetivo vão sempre existir períodos mais solitários, mais sombrios e mais desafiantes, por isso, não se obrigue a estar constantemente 100% disponível e motivado para os seus objetivos.

Por fim, não se esqueça que é essencial perceber a raíz da sua desmotivação, para, posteriormente, levar a cabo um conjunto de acções que a minimizem.

Não se esqueça que a motivação funciona como uma fonte de energia que nos permite ligar-nos à vida e permanecermos ligados às conquistas dos nossos objetivos.

Um artigo da psicólogas Cátia Lopo e Sara Almeida da Escola do Sentir.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.