Rihanna recorda, numa entrevista que será publicada na edição americana da revista “Elle”, a agressão de que foi vítima por parte de Chris Brown, em 2009, e que ditou o final do namoro de ambos.

“Aquela agressão deu-me armas… hoje sabem mais sobre mim do que eu desejaria. Foi um momento embaraçoso, mas foi a minha libertação, o meu momento de mostrar quem sou”, revelou Rihanna à revista feminina.

A cantora de Barbados não esconde que foi uma fase difícil: “Foi a fase mais difícil da minha vida. Eu ainda era apaixonada pelo Chris. Fiquei com raiva, confusa, triste, muito magoada…”, admite.

Rihanna diz que aprendeu a lidar com a má-língua e que, de alguma forma, isso lhe deu mais liberdade: “Hoje eu faço o que quero. Existirão sempre rumores que eu nunca vou conseguir travar. Mas quanto mais as pessoas souberem de mim, mais livre eu serei. Quanto menos esqueletos no armário, melhor. Percebo que às vezes seja difícil para as pessoas entenderem, mas isso não me incomoda. Eu vou continuar a ser quem sou”.

Tendo referido várias vezes, nos últimos tempos, que anda à procura de namorado, Rihanna admite que não é fácil encontrar um amor: “O meu trabalho afeta qualquer relacionamento que eu tenha. É preciso encontrar a pessoa certa e por enquanto ainda não a encontrei…”

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.