«O momento em que uma pessoa se sente melhor e mais relaxada é aquele em que começa a promover a sua saúde». As palavras são de Pedro Cantista, presidente da Sociedade Portuguesa de Hidrologia Médica e Climatologia.

Mas o relaxamento e a evasão não são os únicos benefícios que umas férias termais lhe podem trazer.

Este pode ser um momento único para cuidar de si como nunca. Praticar exercício, reeducar hábitos alimentares, relaxar física e psicologicamente e, até, frequentar programas anti-tabágicos são alguns exemplos de metas que pode traçar para este tipo de férias. Atreva-se a experimentar. A sua saúde agradece!

Uma tradição milenar

Se viajarmos no tempo constatamos que já nas civilizações grega e romana a ida às termas era uma prática social com benefícios terapêuticos. Actualmente,  que diferencia o termalismo de outras terapias continua a ser o recurso à água mineral natural. Esta é uma água considerada bacteriologicamente própria, de circulação profunda, com particularidades físico-químicas estáveis na origem (dentro da gama de flutuações naturais), de que resultam propriedades terapêuticas ou favoráveis à saúde. Na opinião de Pedro Cantista, o segredo do sucesso do termalismo está  na conjugação dos benefícios da água termal com factores geográficos e comportamentais.

Estes últimos englobam não apenas a tranquilidade que rodeia a estância mas  também a cultura e gastronomia das regiões em que esta se insere. «Para percebermos isto basta pensarmos num exemplo prático. Sempre que uma equipa de jogadores de futebol vai participar numa competição importante ou iniciar um campeonato, entra em estágio, normalmente num hotel ou estância com todas as condições necessárias à concentração, relaxamento e bem-estar da equipa. É o que acontece com todas as pessoas que passam uns dias numa estância termal», conclui o especialista.

Cada tipo de água condiciona o tratamento a realizar. Eis as mais comuns em Portugal:

Águas sul fúreas

Ricas em enxofre, são úteis no tratamento de doenças reumáticas, do foro respiratório, anemias e certas dermatoses. A sua ingestão está contra-indicada em casos de hipertensão descompensada.

Águas bicarbonatadas
São normalmente alcalinas e frias. Utilizam-se no tratamento de lgumas doenças do foro digestivo.

Águas sulfatadas
Habitualmente ricas em sódio, são usadas no tratamento de problemas gástricos, dermatológicos, intestinais e na eliminação do ácido úrico.

Águas hipomineralizadas

Aplicadas em problemas do foro metabólico, como a gota ou a diabetes. Algumas são igualmente muito eficazes em patologias cutâneas

Texto: Ana Catarina Pereira com Pedro Cantista (Presidente da Sociedade Portuguesa de Hidrologia Médica e Climatologia)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.