Não contrate a primeira empresa de rega que lhe aparecer à frente. Esse é o primeiro conselho que deve seguir antes de tomar uma opção da qual poderá vir a arrepender-se.

O primeiro passo antes de encomendar algum trabalho ou assinar algum contrato é avaliar a qualidade técnica
do serviço de instalação, sugere a Associação
Portuguesa de Espaços Verdes (APEV).

Comece por visitar alguns
sistemas de rega executados pela empresa que
pensa contratar, de preferência que tenham vários
tipos de rega (aspersão, pulverização e gota a
gota). É aconselhável que estas visitas ocorram
nos períodos de maior calor, para poder detetar
eventuais defeitos da rega.

Durante a visita à obra, peça para ligar setor a
setor, de forma a verificar os aspetos que se seguem:

- Instalação dos emissores

Os aspersores e pulverizadores
devem estar corretamente instalados, ficando o topo ao nível do solo. Devem ainda estar
limpos para que não fiquem presos na relva ou
noutras plantas.

- Obstáculos

Não deve haver obstáculos no raio
de ação dos emissores de água, permitindo uma
rega uniforme. No caso da existência de arbustos,
os emissores devem ser mais altos do que as
plantas.

- Afinação

Os emissores devem estar orientados
de forma a regarem somente as zonas verdes, sem
desperdício de água.

- Braço articulado

O cliente deve pedir para remover um dos emissores ao acaso. Estes devem ter um
tubo flexível (braço articulado) que os liga à tubagem principal
(conduta secundária) para que, em caso de embate,
por exemplo por uma máquina de cortar relva, a ligação à
tubagem não parta.

- Filtro

É o que permite a maior durabilidade do sistema
de rega. Tem de existir obrigatoriamente, mesmo que o sistema
de rega seja alimentado por água da companhia. Este
equipamento tem um peso muito diminuto no orçamento
total do sistema de rega (<5%) e nem sempre é colocado.

Veja na página seguinte: Outros fatores a ter em conta antes da escolha

- Caixas de jardim

Devem estar limpas, com brita no
fundo da caixa para drenagem e com espaço suficiente
para executar a reparação em caso de avaria.

Verifique se
consegue envolver com a mão os vários equipamentos da
caixa.

Caso contrário, a manutenção do equipamento será
muito difícil.

- Controlador de rega

Para além de ser cómodo, permite,
mesmo de férias, que a rega ligue automaticamente, evitando
a perda de plantas.

- Válvula elétrica de segurança

Deve existir, colocada
após o filtro. Serve para proteger contra avarias que provoquem
fugas de água.

- Sensor de chuva

Deve existir para evitar desperdícios
quando chove ou quando há muita humidade, desligando a
rega automaticamente.

- Ligações elétricas

Estas devem estar protegidas da
água com conectores de resina, mantendo as ligações
impermeáveis à água.

- Válvulas de esfera (torneira) e junção cónica

Todos os
setores devem ter uma válvula de esfera antes da válvula
elétrica do setor, para, em caso de avaria, podermos fechar
o setor avariado, sem qualquer problema para os restantes
setores. A junção cónica após a válvula elétrica permite
uma rápida remoção do equipamento, em caso de avaria.

- Uniformidade da rega

Não devem existir zonas
encharcadas nem zonas secas. O jato de água de cada
emissor deve tocar nos emissores vizinhos.

- Pressão

Se existir manómetro de pressão, verifique,
com a rega em funcionamento, se marca no mínimo
2kg/cm2. Os aspersores e/ou os pulverizadores devem
estar completamente elevados durante o funcionamento.
Experimente carregar num deles de forma a verificar
se cedem facilmente, o que evidenciaria falta de
pressão. No caso dos aspersores, quando existe pressão,
a água sai com um efeito de cortina. Quando a pressão é
insuficiente, a água desenha um esguicho linear curvo,
que termina a cair no fim do raio de rega.


Veja na página seguinte: Os emissores de rega corretos

- Emissores de rega

Os pulverizadores (leque) debitam
cerca de três vezes mais água por metro quadrado
do que um aspersor (esguicho com efeito cortina) e a
rega gota-a-gota, por sua vez, tem débitos diferentes
destes dois. Por este motivo, não devem estar juntos no
mesmo setor.


Quando pedir um orçamento, exija uma medição
de caudal e pressão, no local a implementar o sistema
de rega, de forma a que a empresa se responsabilize
pelo orçamento apresentado, em função dos dados
hidráulicos que recolheu.

Texto: António Pedro Moniz (Associação Portuguesa de Espaços Verdes - APEV)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.