Felizmente, somos cada vez mais conscientes dos benefícios que um estilo de vida saudável nos confere, e quando menciono estilo de vida toco as várias esferas: a alimentação orgânica, a prática de exercício físico regular e o desenvolvimento espiritual através do contacto mais íntimo com os nossos pensamentos, as nossas escolhas, a forma como queremos estar em serviço no Mundo. São estas as premissas que permitem ao Ser Humano evoluir de forma consciente e congruente.

Apesar de termos todos as mesmas necessidades básicas  assegurar a nossa segurança, o nosso lugar de pertença e sentirmo-nos amados – as nossas crenças vão condicionar a forma como vamos procurar assegurar essas mesmas necessidades: o tempo de cada um deve ser respeitado, as escolhas mais conscientes advêm da maturidade que se tem, da capacidade individual de aceitar que nem sempre o caminho mais fácil é o caminho do amor próprio, muito pelo contrário, o caminho do amor próprio está bem associado à jornada do herói (saiba mais aqui) e existem vários momentos de superação, de desapego, de fé – isto implica ‘as dores do crescimento’.

Quantas vezes olhamos para trás e validamos que as escolhas foram precipitadas? Acredito que muitas vezes. Contudo, não vale a pena ficar frustrado, não vale a pena sentir que foi um erro, correndo o risco de ficar condicionado para o futuro que poderá ser bem promissor. Todas as decisões que tomamos têm por base a nossa capacidade de escolha no momento, não vamos atribuir culpas a ninguém: a responsabilidade do curso que a sua vida leva é exclusivamente sua.

Outubro, que nos recebe vestido de outono e embalado pela energia da lua nova em balança, tem uma mensagem clara: quais são as relações/parcerias que precisam de terminar?; qual é o padrão que tem de desconstruir, abolir, nas suas relações? Não haverá lugar para o novo sem que antes se assuma que existem despedidas obrigatórias, e que as mesmas sejam materializadas. Pense bem, quais são as relações que precisam de terminar para que possa amar mais e melhor? Parece utópico? Não é. É que a vida está a ser exigente com quem é mais consciente. E é por tudo isto que comecei por lhe dizer que este mês nos convida a recolher, a abrandar e a centrar: em nós, no nosso coração.

O que pode procurar fazer com intenção este mês:

  • Um curso intensivo de práticas de meditação;
  • 10 000 passos diários (equivalente a cerca de 30 minutos);
  • Journaling;
  • Fotografar todos os dias algo que lhe pareça inspirador;
  • Evitar ver televisão à noite, optando por leituras com mensagens otimistas;
  • Sorrir e abraçar quem ama.

Não se permita ser negligente quando pode ser consciente. Deste modo evitará viver em sofrimento, evitará viver em negação.

Escolha acreditar que é merecedor de uma vida com amor, prosperidade e saúde em abundância!

Leia também: Os sonhos nem sempre são cor-de-rosa. De quantas cores pinta os seus sonhos?


Soraia Sequeira é Life Coach e há três anos iniciou a sua viagem de autoconhecimento, por via da astrologia. Desde então, certificou-se em Coaching, Practitioner de Programação Neurolinguistica (PNL) e em Practitioner Time Line Therapy. Atualmente encontra-se a estudar Psicologia Transpessoal, com Constelações Familiares e Hipnose, e vai iniciar em breve o Master em Programação Neurolinguistica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.