Buscamos incessantemente a felicidade, apaixonámo-nos, desiludimo-nos, odiámos, irritámo-nos, uma vez e outra e outra. Vivemos numa montanha russa de emoções que tantas vezes nos roubam a paz interior. Porquê? Aprendemos técnicas, fazemos visualizações, colocámos a lei da atracção em “prática” mas parece que nada funciona. Porquê?

Há várias razões:
- A auto-sabotagem é frequente. Interiormente não acreditamos nos nossos sonhos, no que somos capazes, no nosso potencial divino.
- O ego que quer ter razão a custo da própria felicidade.
- Colocarmos a nossa felicidade em bens materiais, etc.

Poderia mencionar muitas mais razões, mas o objectivo é simplificar e não ficar perdida nos enredos mentais. A razão principal da nossa infelicidade são as memórias que bloqueiam os nossos relacionamentos e impedem que os milagres aconteçam na nossa vida. Quando deixamos de lado a tagarelice mental, restabelecemos o elo com o Divino. Como é que o podemos fazer? Através do Ho’oponopono, que significa “tornar certo” ou “corrigir um erro” na língua original dos havaianos. O Ho’oponopono Identidade Própria é um processo de comunicação com a Divindade desenvolvido pela Dra. Kahuna Simeona que o ensinou ao Dr. Ihaleakala Hew Len.
Ao fazer H’oponopono, pedimos á Divindade para limpar, purificar a origem dos problemas que são as memórias e assim neutralizar a energia associada a determinada pessoa, lugar ou coisa. Desta forma dentro de nós, o espaço limpo é preenchido pela luz e inspiração da Divindade.

Veja na próxima página a continuação do artigo..

No Ho’oponopono não é importante saber o porquê do problema, quem é o culpado ou reviver o sofrimento. No momento em que sentimos desconforto em relação a alguma pessoa, lugar, acontecimento, podemos iniciar o processo de limpeza dizendo: “Divindade limpa em mim as memórias que me fazem vivenciar este problema. Sinto muito. Perdoa-me. Eu amo-te. Eu sou grata.” Nestas últimas podemos apenas destacar a que nos toca mais no momento.

Sinto muito: ás vezes fazemos ou dizemos o que não queremos e o nosso subconsciente e ADN absorvem esta informação que bloqueia a energia divina. Ao dizer sinto muito, reconhecemos que algo penetrou no nosso sistema corpo/mente e queremos o perdão interior pelo o que aquilo nos trouxe.

Perdoa-me: nós julgámo-nos a nós mesmos. Que a Divindade me ajude a perdoar-me a mim mesmo e libertar o amor incondicional dentro de mim. Deus não nos julga, mas nós carregámos mágoas e ressentimentos que precisam ser perdoados dentro de nós.

Eu amo-te: transmuta a energia bloqueada (que é a causa do problema), e liberta o amor incondicional por mim e pela energia divina em mim e pela essência divina em tido o que me antecede e está além de mim.

Sou grata: por me permitir perdoar a mim própria. Grata é energia divina em mim e por a solução já estar cá. Expressão de gratidão e fé de que tudo será resolvido para o bem maior de todos os envolvidos.

Veja na próxima página a continuação do artigo..

Para fazer este processo, basta uma pessoa: eu. O que eu vejo de errado nos outros também está em mim, porque nós somos todos Um, portanto quando um se cura, curam-se todos. Quando eu melhoro, o mundo melhora. A questão fundamental é: estou pronta para assumir responsabilidade? Quero assumir responsabilidade ou quero continuar a ser vitima das “situações exteriores”? Bem, se quero ser feliz, nunca o serei como vítima, mas quando tomo responsabilidade todas as perspectivas mudam.

Podemos pensar nestas frases ao longo de todo o dia em todas as circunstâncias que se nos apresentam e ter uma atitude mais vibrante de compreensão para tudo o que se manifesta. Embora, não seja agradável, é quando as memórias se manifestam que temos oportunidade de as limpar, caso contrário mantêm-se a minar a nossa vida e impedir a nossa paz interior e felicidade. Por isso podemos dizer “Eu amo-vos memórias! Sou grata pela oportunidade de vos libertar” e ver o que acontece no nosso interior. De certeza que a Divindade sorri em nós nesse momento.

Em situações mais difíceis, também podemos fazer a Oração ensinada pela Dra. Simeona: “Divino Criador, pai, mãe, filho em um…Se eu, a minha família, os meus familiares, os meus antepassados, ofendemos a sua família, parentes e antepassados em pensamentos, palavras e acções do inicio da nossa criação até ao presente, pedimos o seu perdão….deixe isto limpar, purificar, libertar, cortar todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas e transmute estas energias indesejáveis em pura luz…assim está feito.”

Veja na próxima página a continuação do artigo..

Todos nós compartilhámos as mesmas memórias e ao serem neutralizadas em nós, também o são nas outras pessoas. Portanto a necessidade de convencer, justificar, converter, curar o próximo são jogos mentais da Mente Consciente que quer controlar resultados. Ser 100% responsável é uma jornada difícil, porque estamos sempre á procura de um culpado e não percebemos que a origem do problema está sempre dentro de nós.

O Ho’oponopono é simples, confia, entrega ao cuidado da Divindade e encontrámos a tão desejada paz no nosso interior e o Divino é perfeito no seu trabalho e depois das memórias limpas, podemos encontrar quem a Divindade criou – um ser puro de coração.

Isabel Costa
Naturologista e Palestrante
www.alquimiaalimentar.com
isacosta@netcabo.pt

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.