Ouve-se, cada vez mais, as pessoas queixarem-se: «Estou cansado!» Mas, apesar disso, continuam a afadigar-se, a correr de um lado para o outro, sem parar um minuto. É bom que uma pessoa queira estar activa, mas, para poder permanecer activa sem fadiga, deve descontrair-se. E não apenas uma ou duas vezes por dia – não é o suficiente – mas dez, quinze, vinte vezes, um minuto de cada vez. Quando tiverdes um momento livre – e não importa onde, pode ser um sinal vermelho ou numa fila de espera – em vez de deixardes vaguear o vosso pensamento ou de vos enervardes por vos fazerem perder tempo, aproveitai a oportunidade para uns momentos de concentração e acalmia e para recuperardes o equilíbrio; em seguida retomareis a actividade com forças renovadas.

O essencial é conseguirdes romper esse ritmo acelerado que faz de vós uma espécie de máquina, propulsionada por um motor impossível de dominar. Portanto, parai várias vezes ao dia, pelo menos durante um minuto, e pensai em alguém ou em algo que vos agrade, que vos traga paz interior, que vos inspire, que vos dê coragem. Se também vos for possível, retirai-vos para uma divisão mais sossegada, deitai-vos de barriga para baixo numa cama ou no chão, sobre o tapete, com os braços e as pernas estendidos, e deixai-vos ir como se flutuásseis num oceano de luz, sem mexer, sem pensar em nada a não ser na luz...Um minuto, apenas, e erguer-vos-eis revigorados.

Existe ainda outro exercício fácil e eficaz: é aprender a comer. Uma vez que, em todo o caso, sois obrigados a parar e a sentar-vos, então, em vez de comerdes de qualquer maneira, com nervosismo e precipitação, considerai as refeições como ocasiões para fazer um exercício de repouso, de concentração e de harmonização de todas as vossas células.

Quando vos sentardes à mesa, começai por expulsar do espírito tudo o que possa impedir-vos de comer em paz e harmonia. E, se não conseguirdes de imediato, esperai pelo momento em que tiverdes conseguido acalmar. Porque, se comerdes num estado de inquietação, de cólera ou de descontentamento, introduzir-se-ão em vós uma agitação febril e vibrações desordenadas que depois se transmitirão a tudo o que fizerdes. Ainda que tenteis dar a impressão de calma, de autodomínio, desprender-se-ão de vós emanações de agitação, de tensão, e cometereis erros, chocareis com as pessoas ou as coisas, proferireis palavras desastrosas que rompem amizades e fecham portas...Ao passo que, se comerdes num estado de harmonia, resolvereis melhor os problemas que tiverdes de enfrentar e, ainda que sejais obrigados a correr de um lado para o outro durante todo o dia, sentireis uma paz que a vossa actividade não poderá destruir.

É começando pelo começo, pelas pequenas coisas, que se conseguirá ir muito longe.

Omraam Mikhäel Aivanhov
in brochura "Respostas a algumas questões actuais"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.