Acredito que existem apenas dois tipos de medo. Os justificáveis, que nos protegem dos perigos e que devemos acatar. E todos os outros, que apenas servem para nos travar e impedir de seguir o nosso caminho e explorar todas as nossas potencialidades.

Ora pensa lá: quantas coisas já deixaste de fazer por medo? Quantas viagens perdeste escudando-te atrás de outras desculpas quando o que te travou foi o medo? Quantas pessoas não conheceste, escondendo-te atrás de outras desculpas, quando o que na verdade te impediu foi o medo? Quantas oportunidades deixaste escapar por medo? Quantas vezes viraste as costas a mergulhos no teu interior mais profundo… por medo?

"Não tenho dinheiro"; "Não tenho tempo"; "Não posso"; "Não me deixam" ; "Não é isto que esperam de mim"; "Tenho que tomar conta dos filhos/marido/mulher/negócio"; "Não é oportuno"; "Não é correto"... São estas as justificações que dás a ti mesmo, não é? Porque não te deixas de “merdas” e admites de uma vez por todas, pelo menos perante ti, que o único impedimento é o medo? Tens medo de estar sozinho contigo. Tens medo de falhar. Tens medo que não te entendam. Tens medo de perder o que tens. Tens medo que, ao sair do trilho, te votem ao ostracismo. Tens medo que te deixem. Tens medo de voar e medo de cair. Tens medo de sonhar pelo temor de não concretizares os sonhos. Tens medo do julgamento. Tens medo de te dar. Tens medo de receber. Tens medo de sentir e de mostrar o que sentes. Tens medo de te emocionar, de chorar e de rir como um louco, não tens? Tens medo do que queres dizer. Tens medo de ir ao fundo de ti e do que lá podes encontrar. Tens medo dos outros e de ti. Tens medo de falhar. MEDO DE FALHAR! Certo?

Sabes o que é usar o medo a teu favor? É perceber que só há dois tipos de medo: o que nos salva do perigo e o que nos impede de viver! E é no combate ao medo que nos impede de viver que a coragem se gera. Enfrenta-o sem te esconderes atrás de desculpas esfarrapadas. Conhece-te. Conhece os outros. Conhece o Mundo. Voa. Cai. Sonha. Sente. Ri e chora. Vive o medo; toca-lhe; cheira-o; abraça-o; e sente-o desfazer-se perante a tua coragem!

Porque só há dois tipos de medo: o que nos salva do perigo e o que nos impede de viver. Pensa nisso!

  
Ana Amorim Dias

 

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.