Promover a igualdade entre homens e mulheres é essencial para que a UE dê resposta à atual crise económica, refere o último relatório anual da Comissão Europeia sobre a igualdade de género.

Aumentar o número de mulheres no mercado de trabalho é imperativo para se cumprir o objetivo global da UE que consiste numa taxa de emprego de 75 % para todos os adultos até 2020.

Para Viviane Reding, vice presidente da Comissão Europeia responsável pela Justiça, Direitos Fundamentais e Cidadania: “Só poderemos atingir os nossos objetivos económicos e de emprego através da plena utilização de todos os nossos recursos humanos, tanto no mercado de trabalho no seu conjunto como a nível do topo. Este é um elemento essencial dos nossos planos de recuperação económica”.

O mesmo documento salienta “a necessidade de promover uma melhor conciliação entre a vida profissional e familiar, em especial através de estruturas adequadas de acolhimento das crianças, de uma maior facilidade de acesso a regimes de trabalho flexíveis e de sistemas fiscais e de prestações que não penalizem a pessoa que aufere o segundo rendimento familiar”.

Outrossim importante são as disparidades salariais entre homens e mulheres que, apesar de apresentarem uma ligeira diminuição, continua com um diferencial de 16,4 % por cada hora de trabalho.

A conclusão do relatório é muito explícita: a diversidade de género compensa e as empresas com percentagens mais elevadas de mulheres nos conselhos de administração têm um melhor desempenho do que as que têm conselhos de administração constituídos só por homens.

24 de abril de 2012

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.