A atriz Catherine Deneuve é uma das figuras públicas que estão contra uma nova proposta de lei em França que visa criminalizar os clientes dos serviços de prostituição. A discussão começou na Assembleia Nacional francesa na passada sexta-feira, 29 de novembro, e deverá prosseguir esta semana.

A deputada socialista Maud Olivier é autora da controversa proposta. Se esta for aprovada e confirmada pelo senado, os clientes das prostitutas passam a incorrer numa primeira contraordenação de 1500 euros. Se reincidirem, estarão a cometer um crime e nesse caso as multas chegam aos 3750 euros. Atualmente em França a prostituição é legal, mas o aliciamento de clientes e o lenocínio são considerados crimes.

Note-se que em 1967 Catherine Deneuve protagonizou o filme A Bela de Dia (Belle de Jour), de Luis Buñuel, sobre uma mulher de boas famílias que se prostitui. Mas não é bem nesse tipo de trabalhadoras sexuais que se baseia a proposta de Maud Olivier.

Em França há 40 mil prostitutas, escreve o jornal The Guardian, muitas das quais de países da América do Sul, da China, Roménia e Bulgária.

A deputada diz que é preciso proteger as mulheres de uma alegada condição degradante que as leva a vender o corpo como último recurso. Quer-se criminalizar a procura e não a oferta, o que já acontece na Suécia, Noruega e Islândia.

Pode ser mais um sinal de que a Europa em crise é cada vez mais conservadora. Ou talvez seja apenas um debate antigo que agora regressa.

A ideia de que o trabalho sexual das mulheres é um flagelo tem vindo a encontrar cada vez mais oponentes. Laura Agustín, investigadora em ciências sociais, é tida como uma voz autorizada nesta matéria. Há seis anos escreveu o livro Sex At The Margins, no qual defende que as mulheres envolvidas em redes de prostituição não são vítimas passivas de tráfico.

Bruno Horta

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.