Segundo a Associação de Apoio aos Doentes Depressivos e Bipolares (ADEB), entre 10 a 25% das mulheres portuguesas sofrem de depressão, o que representa o dobro comparativamente ao sexo masculino.

Dados da ADEB apontam mesmo para uma maior predisposição generalizada do sexo feminino para as doenças mentais.

Entre as principais causas estão factores hormonais. Esta é uma das principais conclusões de uma sessão de esclarecimento sobre doenças mentais realizada recentemente e que reuniu vários especialistas.

O estigma associado às perturbações mentais, importância do tratamento adequado e contínuo e apoio psico-educacional da sociedade foram algumas das questões abordadas no encontro. 

 Segundo a Maria Luísa Figueira, chefe do Serviço de Psiquiatria do Hospital Santa Maria, «os doentes mentais continuam a ser alvo de preconceito por parte da comunidade, o que tem graves repercussões na sua vida e, consequentemente, na recuperação e reintegração».

A ideia pré-concebida de que «estas patologias não têm tratamento, as pessoas com doenças mentais são agressivas ou que só existe um tipo de doença mental» são alguns dos estigmas normalmente associadas a este tema, explica a responsável.

Para José Jara, director do Serviço de Psiquiatria do Hospital Júlio de Matos, a importância da medicação no processo de reabilitação é um factor-chave: «É fundamental que se comece a tratar este tipo de patologias logo de início. Muitos dos efeitos destas doenças são reversíveis com medicação apropriada».

Em Portugal, estima-se que 100 mil pessoas sofram de esquizofrenia e 200 mil de distúrbio bipolar. Segundo os especialistas, uma em cada cinco pessoas pode vir a sofrer de doença mental. A maioria das patologias começa a manifestar-se na juventude, mas podem também ocorrer na idade adulta.

Actualmente, sabe-se que há alterações biológicas no cérebro das pessoas, mas também factores genéticos que podem contribuir para a manifestação de perturbações mentais, bem como determinantes psicológicos, tóxicos, físicos e sociais.

Sinais como alterações de sono, falta de apetite, ansiedade excessiva ou oscilações de humor podem indicar perturbações mentais.

27 de Novembro de 2008

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.