Afastar complicações

Alguns pais olham para as fraldas descartáveis como um método pouco prático. Além do rebuliço normal inerente a um novo bebé, ainda é necessário montar e desmontar fraldas? Não é bem assim. As fraldas reutilizáveis conjugam o formato descartável com a proteção de um absorvente, que deve ser trocado a cada utilização. Existem vários tipos de absorventes, feitos a pensar na idade e necessidades diárias do bebé.

Uma das preocupações mais comuns é também o contacto com as fezes. Porém, se o bebé estiver num regime de amamentação exclusiva, o absorvente elimina-as facilmente. Caso contrário, opções como liners, isto é, películas finas em celulose de bambu, ajudam a proteger a fralda e a absorver parte da sujidade.

Qualidade-preço

Para quem decide embarcar na jornada das fraldas descartáveis, o investimento inicial pode ser um fator de exclusão. Cada fralda custa em média entre 20 e 30 euros, pesando um pouco na carteira dos pais.

A longo-prazo, a situação inverte-se. Até aos dois anos e meio, os bebés utilizam aproximadamente 60 fraldas por semana. Em vez de estar sempre a usar fraldas novas, investir em cerca de 30 fraldas reutilizáveis é suficiente para dar resposta a esta necessidade. Os cêntimos gastos no descartável convertem-se, assim, em milhares de euros, ultrapassando o investimento em formatos descartáveis.

Mito ou realidade? Tudo o que precisa de saber sobre fraldas reutilizáveis

Impacto ambiental

É certo que as fraldas descartáveis são poluentes. A grande maioria acaba em aterros, onde demoram milhões de anos a decompor-se. Além do mais, as fraldas descartáveis biodegradáveis muitas vezes acabam por não receber o tratamento correto, acabando na mesma entregues à natureza.

O reutilizável não está isento de impacto ambiental. Gasta-se água em lavagens e as matérias-primas das fraldas são bastante robustas. Todavia, a logística do reutilizável não se compara ao impacto de milhões de fraldas descartáveis usadas por minuto. Os bebés que usam fraldas descartáveis em exclusivo podem chegar a impactar as emissões de CO2 em 509 quilos, segundo um estudo levado a cabo pela Environment Agency.

Hora de lavar

A hora de lavar parece um bicho de sete cabeças. No fundo, é um passo extra a introduzir na rotina, mas sem problemáticas de maior. Ao lavar os absorventes, deve ter o cuidado de escolher um programa que seja quente e longo. Em geral, recomenda-se uma lavagem de 40 a 60 graus, dependendo das instruções do fabricante.

No caso de manchas mais difíceis, é aconselhada uma pré-lavagem. Procure ainda secar os absorventes ao sol. As nódoas saem com maior facilidade e prolonga o tempo de vida das fraldas, ao contrário da máquina de secar.

Mito ou realidade? Tudo o que precisa de saber sobre fraldas reutilizáveis

Conjugar métodos

Por fim, lembre-se que não é obrigado a optar exclusivamente por um dos métodos. Qualquer redução de emissões ajuda sempre o meio-ambiente. Conjugar fraldas reutilizáveis e descartáveis é possível, basta fazer os ajustes necessários à sua família.

Se considera que é mais cómodo usar o reutilizável durante o dia e descartável à noite, pode escolher um sistema misto. Embora existam fraldas reutilizáveis para recém-nascidos, se preferir evitar grandes investimentos enquanto o bebé cresce rápido, introduza este método mais tarde. As pequenas mudanças importam, assim como o bem-estar de cada família.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.