Uma grande parte da população foi para casa em teletrabalho, enquanto outra teve de ficar a dar apoio aos filhos. O certo é que os desafios têm vindo a aumentar e parece que temos uma nuvem negra à nossa frente. Há quem fale de uma recessão. Há quem pense mais em depressão. Esses sentimentos não veem para aqui chamados. Antes, vamos focar-nos no que podemos fazer hoje, em casa, para melhorar as nossas vidas financeiras.

Assuma as rédeas da sua vida

Pode não ser simpático dizer que hoje, mais do que nunca, temos de assumir as rédeas das nossas vidas. É provável que muitos de nós venhamos a perder os nossos empregos ou que, pelo menos, vejamos alguns cortes de rendimentos. É nesta altura de grandes desafios que devemos levantar a cabeça e olhar para o futuro com confiança. Sim, já passámos por crises (talvez não tão intensas) e dentro de uns anos olharemos para esta altura como um período de transformação. É certo que vamos passar por dificuldades e que teremos de nos adaptar, enquanto famílias e enquanto empresas. Mas também é certo que temos de ser nós a valer-nos.

Para algumas coisas só dependemos de nós

A boa notícia é que há coisas que nos ultrapassam mas há muitas outras em que só dependemos de nós. Assim, deixamos algumas ideias para aproveitar melhor o tempo, para cortar custos e preparar-se melhor para os próximos meses que se avizinham duros:

1. Conheça os movimentos da sua conta bancária

Por que não abrir o seu homebanking e analisar os seus movimentos bancários? Irá perceber que tem atualmente muito menos despesas do que tinha anteriormente, o que desde logo será muito útil para perceber que algumas delas não eram essenciais (não que não fossem justificadas). Irá também perceber que algumas despesas que não deviam existir e que, portanto, poderá reduzir ou mesmo cancelar.

2. Analise as comissões bancárias e os novos planos da banca

Uma das medidas implementadas pela banca em Portugal passa por criar pacotes de serviços sem comissões, de modo a incentivar o relacionamento bancário à distância. Deve conhecer essas medidas e como podem influenciar o seu orçamento familiar. Em alternativa, poderá procurar bancos que não lhe cobram essas comissões ou aderir a pacotes de serviços que lhe tragam mais benefícios.

3. Veja como pode cortar as despesas em casa

Um grande foco de despesas prende-se com alguns contratos que temos em casa. Falamos de contratos como os alarmes (que servem de pouco, daí terem períodos de fidelização), as despesas da eletricidade e do gás (poderá fazer sentido aproveitar alguma promoção para juntar os dois serviços e poupar com isso) ou as despesas com telecomunicações (poderá renovar o período de fidelização para poupar algumas dezenas de euros todos os anos). Neste contexto, sugerimos duas medidas adicionais:

  • Se tem três ou mais filhos, apresente a declaração de IRS junto do comercializador de água do seu concelho e irá conseguir baixar o seu escalão de consumo e com isso baixar o custo por consumo;
  • Se tem abono de família, envie o comprovativo ao seu operador de eletricidade e de gás e peça o acesso à tarifa social. Na prática, irá conseguir descontos muito interessantes sem fazer praticamente nada.

4. Analise a sua carteira de seguros

Esta crise pandémica veio colocar em causa a importância de ter uma boa carteira de seguros. Na prática, dispor de um bom seguro de saúde poderá fazer toda a diferença se quiser ter acesso a cuidados de qualidade, a tempo e horas. Por outro lado, é sempre possível reduzir os seus encargos no seguro de vida do crédito habitação, no seguro automóvel ou mesmo cortar algum seguro que tem e não serve para nada (acredite que é bem possível que os tenha).

5. Explore a lógica das moratórias no crédito

Alguns bancos têm vindo a apresentar medidas avulsas sobre moratórias nos contratos de crédito. Ainda não sabemos a sua extensão pois o Banco de Portugal terá de apresentar as suas orientações. O que sabemos é que estão a surgir novas medidas que poderão ser úteis. No entanto, deixamos um alerta. Aproveitar uma moratória pode fazer sentido desde que enquadrada numa estratégia de poupança e de corte de custos e nunca como uma forma de empurrar o problema para a frente, pois corre o risco de ficar mais endividado e de vir a ter problemas no futuro.

6. Aproveite o tempo para colocar a documentação em ordem

Uma das grandes dicas de finanças pessoais que lhe podemos dar é que tenha a sua documentação financeira em ordem. Ter um registo dos seus contratos é fundamental para que consiga reagir rapidamente em caso de necessidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.