Assim, quando falamos de um crédito habitação temos de considerar algumas variáveis:

Spread

O spread é a margem do banco e costuma ser o foco principal da generalidade das pessoas. Procuramos ter o spread mais baixo pois pensamos que assim iremos poupar mais dinheiro. Podendo ser verdade, não é sempre verdade.

Foque-se no longo prazo

Como referido, contratar um crédito habitação é uma relação de longo prazo. Deste modo, deverá ter em atenção diversos fatores de avaliação da relação comercial. Por exemplo:

Nível de serviço – O banco é conhecido por prestar um bom serviço de aconselhamento? A necessidade de aconselhamento irá ser cada vez maior, com a maior complexidade da relação financeira, pelo que não deve descurar este ponto.

Tipologia de banco – O banco dá-lhe apenas crédito ou tem também uma boa oferta de produtos de poupança? Acredite que os bancos não são todos iguais, apesar de parecerem.

Comissões – Os bancos estão tentados a aumentar as comissões bancárias e no caso de clientes com crédito habitação acabam por ter “a faca e o queijo na mão”, na medida em que podem aumentar as comissões unilateralmente.

Cuidado com o cross-selling

É verdade. Como certamente conhecerá para lhe baixarem o spread os bancos irão propor-lhe que contrate diversos produtos ou serviços. Faça bem as contas. É verdade que a redução de algumas décimas de ponto percentual podem representar vários euros de poupança ao final do ano. No entanto, pode pagar mais comissões e custos que acabam por fazê-lo gastar mais dinheiro. Assim, tenha em atenção:

  • Seguro de vida – Os seguros de vida tradicionais costumam ter associados prémios demasiado elevados. E isto acontece porque as pessoas não se habituaram a negociar com o seu banco uma redução do prémio. Na prática, pode pedir ao banco para reduzir o prémio do seu seguro e com isso poupar dezenas de euros todos os anos;
  • Comissões de Manutenção;
  • Anuidades de cartões de crédito.
  • Fiador – Tenha cuidado com o fiador!

Se tiver alternativa, talvez faça mais sentido propor ao banco a subscrição de produtos de poupança. Deste modo, ao invés de pagar comissões está a constituir uma conta poupança que no futuro poderá utilizar para alguma emergência ou mesmo para algum pequeno mimo pessoal.

Nunca se esqueça de procurar diversas alternativas.

No final do processo, todos queremos poupar dinheiro e ter um bom nível de serviço. Neste contexto, não nos cansamos de alertar para a necessidade de simular diversas alternativas para conseguir poupar dinheiro. Hoje em dia os bancos estão mais abertos para conceder crédito, pelo que a tendência será a da redução dos custos gerais… as famílias agradecem!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.